Pesquisadores americanos criaram um detector de bombas que pode ser impresso em qualquer tipo de papel e apresenta um baixíssimo custo. Dessa forma ele pode ser colocado em grande quantidade em campo, acabando com um dos grandes problemas militares. Isso porque os detectores atuais ou são baratos, mas de baixa sensibilidade, ou possuem boa percepção, mas também são muito caros.

O novo dispositivo, que usa pequenas partículas de carbono, pode ser impresso a partir de qualquer impressora jato de tinta. O desenvolvimento foi feito por cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia.

“Esse protótipo representa um grande passo em busca da produção de um sistema de detecção de bombas sem fio e integrado,” disse Krishna Naishadham, um dos desenvolvedores, “o dispositivo implementa um sensor e um sistema de comunicações em um pequeno suporte, de baixo custo, que pode funcionar em praticamente qualquer lugar”.

Outros sensores similares normalmente são baseados em semicondutores caros, que consomem mais energia e ainda precisam da intervenção humana para operar de forma satisfatória. Além disso, tipicamente esses aparelhos não funcionam em temperatura ambiente.

O sensor que pode ser impresso foi projetado para detectar amônia em baixíssima quantidade no ambiente, em níveis de até 5 partes por milhão A amônia é normalmente encontrada próximo a explosivos.

Fonte das imagens: Georgia Tech.

Cupons de desconto TecMundo: