Enquanto o mundo da tecnologia continua pregando que o futuro é a computação nas nuvens, pouco se vê de resultados a respeito do tema. Claro que a quantidade de aplicativos que rodam no navegador cresce vertiginosamente, mas ainda falta muito para que o público como um todo adote a web como principal ferramenta para todo tipo de trabalho.

Uma das poucas novidades que realmente se compromete com o conceito de “cloud computing” a chegar ao escritório do Baixaki e conseguir causar impressão foi o Jolicloud. A primeira versão finalizada do sistema operacional – na verdade uma distribuição do Ubuntu – muda radicalmente o visual dos betas, mantendo a funcionalidade de um Linux completo.

Versão Beta do Jolicloud parecia o Ubuntu Netbook Remix

O conceito por trás do Jolicloud é bastante semelhante à grande promessa da computação nas nuvens: o Google Crome OS. As semelhanças entre os dois vão desde aplicativos básicos como o Chrome (ou a versão de código livre Chromium, no caso do Jolicloud) como navegador padrão até a utilização do próprio browser como interface principal do sistema.

Em resumo, o Jolicloud é uma maneira diferente – baseada em HTML 5 – de interagir com o Ubuntu. Apesar de ainda utilizar o GNOME como gerenciador principal de janelas, as configurações básicas e até mesmo a instalação de aplicativos ocorre através do Chromium. O usuário só entra em contato com o Linux existente por trás do Jolicloud se quiser.

 

Aprovado

Interface

Certo, não é todo usuário que gosta da interface extremamente simples do Jolicloud, mas para quem não tem muito contato com o mundo Linux, a facilidade em resolver as questões comuns do uso de um computador é uma enorme vantagem.

A nova interface do Jolicloud, mais bonita e leve

Com ícones grandes – apropriados para as reduzidas telas dos netbooks – e controles claros, dispositivos USB, rede e gerenciamento de energia, as configurações básicas do Jolicloud são até mais diretas do que o painel de controle do Windows, por exemplo.

Sincronização

Serviços de armazenagem online pré-configurados no Jolicloud.Se você tem o Jolicloud em um netbook e em algum outro computador – apesar de destinado principalmente aos ultraportáteis, é perfeitamente possível utilizar o sistema em desktops ou notebooks –, a sincronização entre os aparelhos é possível através da conta Jolicloud que você criou durante a instalação do sistema.

Assim, os aplicativos que você utiliza no netbook podem ser instalados facilmente – sem percorrer as enormes listas de oferta – em todas as máquinas vinculadas ao seu usuário. Também é possível utilizar vários serviços de armazenagem online – Dropbox, ZumoDrive e outros – para conseguir acesso a arquivos importantes de qualquer máquina.

Conectado ou não

Synaptic

Apesar de focado nos serviços de computação nas nuvens, o Jolicloud ainda é uma distribuição do Ubuntu e, portanto, pode rodar sem problemas vários aplicativos locais. Além dos existentes nas galerias de aplicativos – como Skype, OpenOffice e outros – nada impede que um usuário com um pouco mais de conhecimento de Linux acesse o terminal e instale programas através do apt-get ou do Synaptic.

Desempenho

Ainda que dependa do Chromium para sua interface principal, o que consome um pouco do processamento da máquina, o desempenho do Jolicloud está longe de ser ruim.

Como várias funções foram calibradas para o funcionamento em máquinas mais fracas – como os netbooks – existe uma compensação eficaz entre as demandas da interface e as condições necessárias para os outros softwares.  

Mesmo rodando bem, o GIMP é prejudicado pela dimensão da tela

Mesmo aplicativos mais pesados como o GIMP não sofrem muito para executar suas tarefas. Naturalmente que, em computadores de configurações limitadas, esses programas apresentam algumas dificuldades, mas o Jolicloud evita dificultar ainda mais o processamento destinado a esses softwares.

Estabilidade

Como esperado da grande maioria dos sistemas Linux, o Jolicloud é muito estável. Raramente um aplicativo deixa de funcionar, e mesmo quando isso ocorre não há comprometimento dos outros processos ativos no computador.

 

Reprovado

Aplicativos online

Parece estranho reprovar justamente um dos principais pontos de propaganda do Jolicloud, mas isso é necessário.

Como a maioria dos programas disponíveis na galeria do Jolicloud são na verdade SSBs (“Single Site Browsers” – navegadores de site único) baseados no Chromium, existem dois problemas que o Baixaki considerou graves.

A

O primeiro é a própria seleção de aplicativos. Como a computação nas nuvens ainda não é tão difundida, a galeria do Jolicloud apresenta um sem número de serviços oferecendo exatamente as mesmas funcionalidades.

Os exemplos são numerosos, mas basta dizer que existem dezenas de opções de editores de imagem, e a maior diferença entre cada um deles é, em geral, o nome do serviço. Apesar da vantagem em se ter várias opções, é muito fácil se confundir na busca por uma solução específica caso ainda não se conheça qual escolha é a melhor para você.

Serviços do Google como ícones do Chromium na barra superior do JolicloudO segundo problema do Jolicloud em relação aos aplicativos online é que, depois de inicializados, vários sites se apresentam na barra superior com o ícone do Chromium ao invés do favicon do site original. Com isso, encontrar exatamente o aplicativo que você procura pode ser um pouco mais demorado do que o ideal.

Encontrar programas locais

Apesar de existir a possibilidade de instalação de aplicativos através dos repositórios do Ubuntu, o caminho a ser percorrido para encontrar o programa depois de instalado é tortuoso. Quem não está familiarizado com o terminal certamente terá dificuldades em inicializar programas instalados por qualquer meio que não a galeria do Jolicloud.

Pasta de aplicativos locais

Para complicar ainda mais a situação, não é possível criar atalhos para os aplicativos obtidos por outras fontes que não o próprio sistema oficial. Dessa forma, sempre que você decidir utilizar o F-Spot, por exemplo, será obrigado a acessar pelo menos dois painéis da interface antes mesmo de inicializar o programa.

Como um smartphone

Como os ícones dos aplicativos instalados no Jolicloud são grandes, para facilitar a utilização em netbooks, existe um limite relativamente pequeno de entradas possíveis na grade de cada uma das telas de acesso do sistema.

Essa questão foi resolvida pelos desenvolvedores da interface de maneira semelhante à solução presente no iPhone: criar várias telas com os atalhos para os programas.

O problema, entretanto, é que a maioria dos computadores em que o Jolicloud é instalado não apresenta tela sensível a toques. Assim, não é possível arrastar a visualização de uma área para a outra, sendo necessário clicar na bolinha existente na parte inferior da tela para trocar a visualização.

As marcações das telas disponíveis no sistemaSe com um mouse isso já não é muito confortável, com um trackpad de netbook – extremamente limitado e pouco preciso – a atividade é consideravelmente irritante. Mesmo que não comprometa gravemente a utilização de um PC com o Jolicloud, este é um detalhe ergonômico que incomodou durante os testes do Baixaki.

 

Vale a pena?

O juízo entre o “sim” ou o “não” como resposta a essa pergunta é um dos mais difíceis até agora. Ao contrário de outras análises, em que o veredito era dado sobre um equipamento, julgando-o capaz de atender necessidades específicas ou não, no caso do Jolicloud deve-se pensar em termos de: “este sistema operacional cumpre o que promete em termos de conectividade e facilidade de uso?”.

Splash screen do Jolicloud

Caso este seja o único parâmetro para a análise, certamente a resposta é sim. O Jolicloud oferece praticidade e simplicidade para usuários de todos os níveis, desde que dentro de um universo relativamente limitado pela galeria do sistema.

JolicloudPorém, um sistema operacional é apenas a porta de entrada para a computação. De nada adianta a distribuição perfeita se as suas necessidades não são atendidas pela oferta de software existente.

Sob este viés, a única resposta possível para a pergunta que marca o início desta seção é: “Depende do que você precisa”.

Para quem pretende utilizar o netbook com Jolicloud para tarefas mais simples, como edição de texto sem grandes necessidades de formatação ou para navegar na internet, certamente o Jolicloud é uma excelente opção.

Agora se o ultraportátil é em verdade uma extensão do seu computador principal, e ocasionalmente é necessária a execução de tarefas mais complexas no confinamento do pequeno computador, aí talvez uma distribuição Linux mais conhecida – como o Ubuntu Netbook Remix – e não tão alterada seja mais recomendada.

Cupons de desconto TecMundo: