Sexta-feira, 20h: computadores desligados. É isso que o governo da Coreia do Sul espera que aconteça em seus escritórios. O motivo? Os sul-coreanos estão trabalhando muito, marcando longas horas extras e reforçando "a cultura de trabalhar além do período normal".

Segundo a BBC, os funcionários do governo trabalham uma média de 2.739 horas por ano, enquanto trabalhadores em outros países desenvolvidos cravam uma média de 1 mil horas anuais.

Essa iniciativa será implementada em três fases durante os próximos três meses no Governo Metropolitano de Seul (SMG). A primeira sexta-feira em que os PCs serão desligados acontecerá agora, dia 30, às 20h00. Depois, em abril, os computadores são desligados às 19h30. Por último, em maio, os PCs se desligarão às 19h00.

De acordo com o Governo Metropolitano de Seul, obviamente, exceções serão feitas em circunstâncias especiais

Apesar da cultura de horas extras estar com um alvo nas costas na Coreia do Sul, muitos funcionários de órgãos governamentais não aceitaram a nova medida. Segundo a própria SMG, 67,1% dos trabalhadores pediram para continuar trabalhando após às 20h.

Como a BBC indicou, no começo de março, uma lei nacional da Coreia do Sul diminuiu a carga horária máxima semanal para trabalhadores de 68 horas para 52 horas — o que dá cerca de 10,4 horas diárias de segunda a sexta.