(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Desde que o iPad mini foi anunciado, uma grande quantidade de consumidores encontrou o ponto perfeito de convergência entre portabilidade e usabilidade — o aparelho de 7,9 polegadas é mais portátil do que a versão original do gadget da Apple, contando com a mesma loja de aplicativos. Mas há informações de que isso poderia ser um grande problema para as vendas do iPad comum (com tela de 9,7 polegadas).

Segundo fontes ligadas ao site DigiTimes,as empresas responsáveis pela manufaturação dos tablets estariam com demanda muito maior pelos iPads mini. No segundo trimestre fiscal de 2013 (que foi de janeiro a março deste ano), cerca de 19,5 milhões de iPads foram vendidos em todo o mundo, sendo que 12,5 milhões seriam iPads mini — o que representa 64% do volume total de aparelhos.

Vale dizer que os números indicados anteriormente são relacionados às entregas realizadas pelas montadoras para que a Apple revenda em todo o mundo. Mesmo assim, parece realmente que o cenário atual está sendo configurado principalmente pelos iPads mini. Ainda não há como dizer se isso configura uma competição interna entre os aparelhos da Apple, mas sem dúvidas mostra uma tendência forte no mercado mundial.

Com o sucesso da versão mais portátil do iPad, as outras empresas fabricantes devem focar seus esforços em produzir aparelhos que possam competir fortemente com ele. Hoje, os principais desafios são relacionados à manutenção de preços baixos e oferta de hardware potente em uma única estrutura, assim como faz o Nexus 7 da Google — mais de US$ 100 mais barato que o iPad mini.

Cupons de desconto TecMundo: