Os Estados Unidos estão prestes a definir o futuro da internet no país: a votação do fim da neutralidade de rede pode acontecer nesta quinta-feira (14) com sérias consequências para a navegação de seus habitantes. E, para ajudar a convencer a população de que o fim dessa regulação é uma boa ideia, a maior autoridade por trás do projeto gravou um vídeo no mínimo peculiar.

Ajit Pai é presidente da FCC (Federal Communications Comission, que faz um papel parecido com o da Anatel por aqui) e foi escolhido pelo presidente Donald Trump justamente por ser um defensor do fim da neutralidade de rede. E ele parece disposto também a "se enturmar" com a juventude, como mostra o vídeo publicado no site conservador Daily Caller.

Confira:

Basicamente, o vídeo é uma tradicional lista feita para viralizar misturada com paródia e críticas a quem é contra o fim da neutralidade. Ajit fala que só quer "restaurar a liberdade na internet" e acabar com "as regulações da era Obama". Além disso, diz que você poderá ver séries, postar no Instagram, arruinar memes e muito mais caso a nova lei seja aprovada.

O que faltou falar

O que Ajit Pai não cita é que a neutralidade de rede pode ser uma forma encontrada pelas operadoras para limitar a navegação livre pela rede. Essa é a "carta branca" para que elas vendam pacotes de acesso a certos serviços (pagar mais por streaming de vídeo, por exemplo, como é em Portugal), limitem a sua velocidade e até restrinjam o uso de produtos de concorrentes pelos clientes. 

Além disso, pequenos clientes e negócios perdem qualidade e velocidade de rede para os grandes, que consomem mais dados.

Quem defende o fim da neutralidade alega que essa é uma forma de "deixar os serviços das operadoras mais transparentes". Porém, o vídeo foi muito mal recebido por vários motivos — como o fato de ser extremamente brega e abertamente brincar com as críticas. Sites de tecnologia inclusive criticaram o político por tratar uma decisão tão importante de forma tão infantil e superficial.

Uma colagem de textos.
"Ajit Pai pensa que você é estúpido", "vídeo incrivelmente enganoso" e "novo vídeo bobo" são alguns dos termos utilizados por noticiários.

E o que eu ganho (ou perco) com isso?

Se você não mora nos Estados Unidos, dificilmente será afetado pela votação em curto prazo. Porém, o Brasil já passou por discussões sobre o limite de dados na banda larga (que está só temporariamente arquivado) e as operadoras já começaram a pressionar políticos para seguir o exemplo dos EUA e votar alterações no Marco Civil da Internet. Atualmente, é ele que garante o acesso livre e sem amarras.

Nos EUA, vários artistas e pioneiros da internet já se uniram para manifestar o descontentamento com relação ao fim da neutralidade.