Redimensionar e aumentar o zoom de uma imagem pode ser algo bastante perigoso caso ela não seja do tipo “vetor”. Mas, como saber se uma imagem é realmente um vetor ou gráficos rasterizados, ou seja, imagens fechadas? As diferenças entre um tipo e outro são bastante sensíveis e, quando se trata de edição é preciso ter essa informação muito clara.

Se você trabalha em uma empresa que tem relações fortes com a internet, já deve ter ouvido alguém da equipe de design comentando sobre vetores e as vantagens de se trabalhar com este tipo de arquivo. Às vezes, nem é preciso ter colegas designers para ser obrigado a ouvir algo sobre vetores.

Imagine que você precisa apresentar um relatório ou um trabalho de alguma disciplina e um dos requisitos é inserir um logotipo com boa qualidade no topo da página. Instintivamente, você vai até o site de alguma fonte utilizada no trabalho ou então captura o logotipo da sua empresa para inserir no documento.

Entretanto, o melhor que você vai conseguir assim é uma imagem no formato GIF ou JPG. Nenhuma das duas poderá satisfazer a exigência de boa qualidade. Portanto, é bom que você execute muito bem o passo a passo logo abaixo!

Pré-requisitos

Antes de começar a transformar a imagem em vetor, você precisa fazer a checklist:

  • Inkscape, faça o download através do botão abaixo:

Clique aqui para baixar!

  • Imagem em formato GIF ou JPG

Um pouco de informação...

Depois de ter verificado os itens acima, é importante explicar algumas diferenças antes de iniciar o tutorial. Você já deve estar se perguntando qual é a grande diferença entre uma imagem rasterizada e outra em vetor. É bastante simples e o Baixaki explica.

Uma imagem rasterizada nada mais é do que uma grande matriz de pixels coloridos e como tal, ficam bem “feias” quando você as aumenta demais ou então precisa aproximar através do zoom. Tente imaginá-las como um grande bordado em que cada ponto é um pixel. Você sabe quando uma imagem é deste tipo quando ela tem o formato JPG, GIF, PNG ou XCF ao final do nome.

Os vetores não. As imagens vetorizadas têm como principal característica a flexibilidade. Em vez de serem comparadas a um grande bordado, os vetores são elementos matemáticos que determinam a formação de uma imagem. Assim, as proporções são facilmente redimensionadas em quaisquer ocasiões.

Você pode produzir vetores com programas específicos como o Adobe Illustrator, Inkscape e Corel Draw, por exemplo. Os formatos que designam se uma imagem é ou não um vetor são SVG, AI e CDR.
Agora que você já sabe um pouco mais, vamos começar!

Faça você mesmo!

O primeiro passo consiste em capturar uma imagem para ser vetorizada com o seu Inkscape previamente instalado. Neste exemplo, vamos utilizar o logotipo do Baixaki, mas sinta-se livre para escolher qualquer imagem.

Depois de ter salvo uma imagem qualquer no seu computador, abra o Inkscape e abra o arquivo no editor. Para fazer isso você pode clicar no ícone da pasta, ou seguir o caminho iniciado por “File” (Arquivo), “Open” (Abrir) e em seguida o local em que você salvou a sua imagem rasterizada.

Abra uma imagem qualquer!

IMPORTANTE: Lembre-se de clicar na imagem para selecioná-la sempre que for editá-la. A partir deste ponto, é imprescindível fazer isso. Do contrário, as alterações não terão sucesso.

Selecione a imagem e clique em “Paths” (Caminhos). Em seguida, você deverá clicar em “Trace Bitmap” (Traçar bitmap) ou então usar a combinação de teclas Ctrl + Alt + B. Isso vai abrir a janela de vetorização. Note que existem alguns valores nas caixas.

Trace os bitmaps!

Você deve ajustá-los da melhor maneira para que a imagem não fique diferente do original. Assim, sempre que fizer alguma alterações naqueles valores, clique no botão “Update” para atualizar a pré-visualização do mapa preto e branco da imagem. Não se assuste, você não vai perder as cores da sua imagem.

Use os valores corretos!

Vários pontos surgirão!

Depois disso, clique em “OK” para finalizar o processo. Se a sua imagem for muito grande, você deverá esperar um pouco até que o Inkscape finalize a transformação. Clique duas vezes sobre a imagem para ver que vários pontos foram gerados. Agora, cada um deles representa um pedaço que pode ser remodelado à vontade.

O resultado será parecido com este!

Quando você terminar de fazer as edições necessárias, pode salvar o arquivo no formato SVG ou exportá-lo para os formatos de imagens rasterizadas novamente. Tudo depende do destino a ser dado ao arquivo!

Fique atento para mais dicas e tutoriais!

Cupons de desconto TecMundo: