Atual presidente do Irã, Hassan Rouhani (Fonte da imagem: Reprodução/Reuters)

Desde a manhã de ontem, sites do mundo todo vêm elogiando a mudança de postura do governo iraniano, que teria liberado o acesso do povo às redes sociais, como Twitter e Facebook. Contudo, tal acontecimento, visto principalmente na capital Tehran, não representou uma mudança de postura do país com relação à internet, mas sim simplesmente um “problema técnico”.

Segundo apurou o Yahoo!, os filtros que bloqueiam esses sites teriam sido desligados devido a um mal funcionamento dos seus respectivos gerenciadores. Isso teria ocorrido somente em um dos provedores de internet do país – o que explicaria a liberação somente na capital.

De acordo com Abdolsamad Khoramabadi, secretário de governo da agência que regulamenta a internet no país, um comitê técnico foi instaurado e já deu início às investigações para descobrir o que causou a “falha de segurança”. Ainda de acordo com o site, os filtros e bloqueios voltaram a funcionar ainda ontem no final do dia, proibindo novamente o povo do país de acessar tais sites da internet.

Falsas esperanças

O anúncio de que a liberação das redes sociais no Irã foi causada somente por um erro nos servidores de internet do país jogou um balde de água fria na população do país e também em toda a comunidade internacional, que via com bons olhos a mudança de atitude do governo local com relação às liberdades individuais online.

O acesso ao Facebook e ao Twitter está proibido no Irã desde 2009, quando o ex-presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, determinou o seu bloqueio. Tudo teria acontecido devido aos protestos online, que apontavam suspeitas de fraude na eleição que o reelegeu cerca de quatro anos atrás.

A esperança era de que o atual presidente do país, Hassan Rouhani, mostrasse uma postura mais liberal com relação ao assunto. Contudo, pelo menos por enquanto, parece que a política de censura ainda deve continuar no país.

Cupons de desconto TecMundo: