Quantos idiomas estrangeiros você conhece? Pelo menos um, mais de um ou nenhum? Pois é, quem navega pela internet diariamente está sempre se deparando com diferentes idiomas, seja na hora de baixar um programa, assistir a um vídeo ou mesmo navegar por alguma página interessante.

Por ser a internet um meio tão multicultural, nada como a necessidade de tradução de muito que se vê por aí. Porém, se você não é superdotado e conhece 10 idiomas de cor e salteado, utilizar um tradutor automático é a opção mais procurada.

Pensando neste nicho, gigantes como Google, Microsoft e outros trouxeram a tradução para mais perto dos usuários, através de tradutores automáticos que têm como objetivo diminuir a distância entre línguas que tanto separa os caminhos da internet.

Sopa de letras estrangeiras

Trazemos aqui a análise desses tradutores automáticos, com o objetivo de ajudar você, usuário Baixaki, a escolher aquele que seja mais satisfatório para traduzir qualquer tipo de informação.

Os parâmetros

Quando se fala em análise de traduções, é preciso lembrar que tradução não é apenas a mudança de uma língua para outra. É preciso, ao se traduzir, observar diversos fatores, entre eles as marcas culturais (ou seja, o que é exclusivo de cada país), o estilo em que o original se encontra, além de erros e acertos em relação à maneira de escrita que seja correta em relação àquela língua.

Portanto, trouxemos para o nosso teste cinco excertos de textos diferentes em italiano, espanhol, alemão, francês e inglês, pois esses são os idiomas que aparecem com mais frequência nas pesquisas pela internet.

Cada texto traz características diferenciadas, para se testar todo o “poder de fogo” de nossos tradutores. Por falar nisso, os testes foram feitos com quatro tradutores automáticos usados na internet: Google Translate, Bing Translate, Yahoo! Babel Fish e Systran. Os três primeiros são usados mais extensamente, já o último tem apelo mais esporádico, porém trouxe bons resultados.

Os tradutores da análise

Além de usados tradutores automáticos, trazemos também a chamada “tradução humana” feita por profissionais das mais diversas línguas. Assim como o texto original, elas norteiam as análises, para que se chegue a conclusões mais precisas.

Encontramos uma porção de outros tradutores automáticos por aí, entretanto, as traduções por eles feitas são extremamente literais e muitas vezes não fazem sentido. Além disso, muitos sites se utilizam das ferramentas aqui analisadas (especialmente os códigos do Google), o que nos deu resultados iguais em vários casos.

Então, vamos às análises! Confira aqui os idiomas e as análises de cada uma das traduções, para que você escolha o tradutor automático que melhor atende às suas necessidades.

Espanhol

Para o espanhol, utilizamos um texto jornalístico, inclusive que fala sobre o lançamento do Bajaki, nosso mais novo hermano divulgado no portal Terra. O texto conta com uma linguagem simples e direta, para que os tradutores começassem com um teste mais simples. Eis os resultados.

Traduções em espanhol

Como se pode perceber, enquanto a tradução humana, por exemplo, percebe os nomes assim como são, a tradução do Google transformou “bajaki” em “bajakian”. No caso do Bing, aquilo que deveria ser “No Zebra Network” ficou como “zebra de N”.

O Systran foi o único a reconhecer os dois nomes como são, entretanto ele deixou o texto pouco natural, pois manteve a estrutura do espanhol, que não é igual à do português. Além disso, ele manteve o nome “Latinoamérica”, que não é usado no país, enquanto Google e Bing resolveram a questão inserindo “América Latina”, como a tradução humana.

Para o espanhol, o embate foi acirrado, com todas as vantagens e desvantagens de cada um. Isso exatamente porque o texto é jornalístico e, portanto, com linguagem fácil. Além disso, o espanhol e o português são mais próximos do que muitas línguas, o que deixa o texto ainda mais fácil de se traduzir automaticamente, pois mantém certas estruturas.

Italiano

Este texto italiano traz uma complicação a mais para os tradutores automáticos. Trata-se de uma transcrição da fala de show de stand-up italiano chamado Maschi Latini, de Paolo Migone. Por ser transcrição, ainda mais de comédia, os tradutores automáticos tiveram um pouco mais de trabalho.

Traduções do italiano

Nos três casos, a palavra “pipolo”, que nada mais é do que referência a pequenas quantidades, não foi traduzida. A última frase, “O homem decide levá-la ao cinema”, nos três casos foi traduzida de forma estranha, uma vez que a ordem das palavras do italiano é um pouco mais complicada.

Falhas à parte, a tradução do Google foi a que melhor trabalhou o excerto, uma vez que não deixou palavras sem significado e manteve uma boa parte daquilo que o texto tratava.

Alemão

Para a tradução no idioma alemão, foi usado um pequeno parágrafo do texto dos Irmãos Grimm, sobre a história de Rapunzel.  A história é baseada em fantasia e conta com um estilo simples. Entretanto, a estrutura da língua alemã é completamente diferente do português, o que se torna um grande problema no momento de traduzir.

Traduções do alemão

Neste caso, novamente o Google se saiu melhor. Apenas na parte em que se fala da localização da janela, ele se complica, deixando a frase “mas muito no início foi uma pequena janela”, o que não é gramaticalmente aceitável.

Porém ele traduz todas as palavras do texto original e até se sai bem na última frase, por se tratar de um texto literário e mais poético. Ele erra em algumas marcas de masculino e feminino, porém não tanto para prejudicar o entendimento.

Tanto Bing quanto Systran deixam de traduzir várias passagens e não conseguem transpor a diferença entre as estruturas diferentes do alemão para o português. Isso prejudica de forma mais grave o entendimento, uma vez que você não consegue nem mesmo entender o que é dito.

Novamente, não é possível esquecer que se trata de um texto simples, para crianças, portanto sem tantas dificuldades de gramática e de compreensão. Portanto, a tradução não deveria apresentar tantos problemas como o que foi visto no Bing e no Systran.

Francês

O excerto original do francês foi retirado do livro de Alexandre Dumas “Os três mosqueteiros”, mundialmente conhecido e traduzido. Escolhemos um parágrafo que não apresenta muitas dificuldades, porém se trata de uma obra literária para o público mais adulto e, portanto, conta com mais refinamento de estrutura do que no conto alemão.

Traduções do francês

Aqui todas as traduções deixam um pouco a desejar, pois não conseguem mostrar com detalhes como d’Artagnan tirou seu florete (espécie de espada antiga). A palavra “flanconade”, que foi traduzido por “flanqueada” na humana, não teve tradução automática de nenhum dos quatro tradutores.

Neste caso, Google e Bing trouxeram as melhores traduções, de forma a passar o entendimento daquilo que foi dito, porém sem grande sucesso. Tanto o Yahoo! Babel Fish quanto o Systran deixaram muito a desejar, pois não traduziram outras palavras e ainda mantiveram o parágrafo um tanto quanto artificial, o que dificultou a compreensão.

Vale constatar que esta é a primeira tradução feita diretamente para o português do Babel Fish. Para as línguas anteriores, o suporte era apenas para o inglês, ou seja, você precisaria traduzir para o inglês e depois passar para o português, o que deixa a tradução automática “sem pés nem cabeça”.

Inglês

Para a tradução do inglês, utilizamos um pequeno parágrafo de uma reportagem da CNN sobre o lançamento do iPad e sua venda em Hong Kong. Apesar de ser uma notícia de jornal, assim como o espanhol, esse parágrafo trouxe grande dificuldade para os tradutores automáticos.

Isso porque, para fechar a análise, foi usado um texto que traz não apenas o inglês, mas uma expressão em francês específica muito usada quando se fala de comércio. Em termos gerais, “laissez faire” faz parte de um ditado francês e pode ser traduzido por “deixai fazer”.

Traduções do inglês

Para a tradução humana, optou-se por apagar esta marca de outra cultura e explicar mais literalmente do que se trata. Era possível deixar o texto com o ditado francês, porém este não aparece com tanta frequência em notícias de jornal no Brasil.

As ferramentas mantiveram a expressão, o que atrapalhou nas traduções automáticas. A tradução da frase deixou bastante a desejar, deixando a primeira parte confusa. A segunda frase também se torna um tanto quanto estranha, principalmente para aqueles que não conhecem a expressão francesa.

Tanto o Yahoo! Babel Fish e o Systran ainda “engoliram” uma parte da palavra que corresponde a “lançado” nas outras traduções, o que deixou a frase totalmente sem sentido.

O resultado

Todas as traduções    da análise

Depois de toda essa “Torre de Babel”, é fácil perceber que o tradutor do Google é o que melhor se adaptou aos textos mais diversos, traduzindo-os muitas vezes de forma a dar uma boa compreensão do contexto para quem precisa entender algo em diferentes idiomas.

Apesar de menos eficiente, o aplicativo do Bing também trouxe boas respostas, mas por vezes pecou em não traduzir termos ou deixar a frase muito literal, ou seja, muito ligada a estruturas e estilo da gramática do original.

Tradutor do Google  manteve a dianteira

É preciso destacar também que o Google é a ferramenta de combina mais línguas do que os outros, com suporte para 52 idiomas diferentes. Enquanto isso, o Bing conta com suporte para apenas 30 idiomas, tanto para a língua de chegada quanto para a língua de partida. As combinações de idiomas tanto do Google quanto do Bing são enormes.

Outros tradutores

Tradução sem a  necessidade de livros

Para você que ficou imaginando como tradutores como o Babylon e o Lingoes ficaram de fora, vale a pena dizer que fizemos alguns testes com eles. No site do Babylon, por exemplo, encontrou-se um tradutor automático, entretanto, ele utiliza os códigos do Google e, portanto, traz os mesmos resultados.

Quando falamos em tradutores instalados no computador, Babylon e Lingoes executam a tarefa com facilidade, porém contam com várias falhas normais em se tratando de tradutores automáticos. Entretanto, vale a pena dizer que ambos trazem ótimas ferramentas de dicionário e suporte para a tradução, para que você dê uma boa “lapidada” naquilo que foi feito automaticamente.

Além disso, preferimos analisar apenas tradutores online, de forma a deixar toda a análise mais “justa”, com os quatro aplicativos em pé de igualdade e sem a ajuda de outras ferramentas.

Muito dos sites diferentes de tradução que encontramos por aí ainda trazem o Google como sua ferramenta básica, o que pode fazer você pensar que vem tudo “do mesmo”. Por contar com códigos livres para a construção de ferramentas, o Google Translate sai na frente de outros e se espalha por muitos diferentes sites que contam com tradução.

Tradução até para  frases mais simplesEntretanto, muitos tradutores trazem diferentes usos para essas ferramentas. O Nice Translator, por exemplo, mostra as traduções em diversas línguas, para que você não precise escrever várias vezes o mesmo texto. Isso é uma forma diferente de utilizar a mesma ferramenta, o que expande as possibilidades.

Além disso, você encontra várias opções de complementos e aplicativos que deixam ferramentas de tradução mais à mão do que entrar nos sites e traduzir textos durante a navegação na internet ou quando procura alguma informação. Isso faz com que não apenas o tradutor automático seja competente, mas também de fácil acesso.

Ferramenta do YouTube

Além das traduções online, vale a pena destacar a ótima alternativa do YouTube, com sua ferramenta de tradução de vídeo em tempo real. Essa tecnologia chamada de Automatic Speech Recognition (ASR) funciona através de reconhecimento de voz (em inglês), que refaz automaticamente a sincronização para 51 idiomas diferentes, inclusive o inglês.

Confira abaixo um vídeo que utiliza essa tradução. Perceba que é necessário que você clique no botão de legendas e escolhas as opções "transcrever áudio" e, a seguir "traduzir legenda" na lateral inferior direita.

O que podemos perceber, entretanto, é que o reconhecimento de voz muitas vezes não entende perfeitamente o que foi dito, o que deixa a legenda sem condições de ser entendida.

Porém, é preciso comentar que esta se trata de uma tecnologia nova e pioneira e, portanto, requer melhorias. Mas já em uma primeira análise, é interessante perceber que em outras partes essa legenda corresponde bastante ao que está sendo dito na tela.

A tecnologia do YouTube ainda requer um tempo para se firmar, porém é interessante perceber que ela vai ajudar muita gente, seja deficientes auditivos ou quem não entende o inglês.

E aí? Pode confiar?

A tradução automática melhorou bastante com o passar dos anos, porém deixa ainda muito a desejar. O fato é que a tradução humana lida com infinitas opções de palavras, leva em consideração fatores culturais e características específicas de cada idioma, resolve problemas de forma pouco usual e, portanto, traz muito mais riqueza para uma tradução.

Você confia nos tradutores automáticos?

Os tradutores online já deram um grande passo em seus códigos, mas ainda estão longe do que seria o ideal. Isso porque, por mais que tragam dados infinitos para pesquisa, eles não sabem como organizar toda essa informação de forma a utilizá-la na hora de uma “escolha” de tradução.  

Eles cada vez mais se tornam uma ferramenta para tradutores, que lapidam o texto e tiram dúvidas através dos serviços. Além disso, a tradução automática é recomendável para traduções rápidas, em sites e espaços do gênero.

Porém, a pergunta ainda fica: dá para confiar? Em termos. Ainda não há nenhuma que substitua uma boa tradução humana, baseada em conhecimento, uma boa dose de esforço e muitas escolhas interessantes.