Apesar de o Facebook ser conhecido como uma rede social, o principal negócio da empresa é realmente sua plataforma de publicidade. Tanto é que, somente no último trimestre, a companhia lucrou nada menos que US$ 6,2 bilhões (R$ 20 bilhões) com a venda de anúncios, o que levou o serviço a uma situação interessante — simplesmente não há mais espaço disponível para a exibição de novos anúncios.

Em um relatório divulgado na última quinta-feira (27), a empresa afirma que o número de anúncios que pode mostrar ao usuário dentro da rede social não vai ser um fator levado em consideração na hora de prever o crescimento de rendas futuras. Em outras palavras, a companhia vai ter que encontrar outros meios de alavancar seus negócios sem que isso envolva aumentar a quantidade de publicidade que os usuários veem.

“A carga máxima de publicidade é uma mistura de arte e ciência”, afirmou o CFO Dave Wehner. “Também queremos ter certeza de que o feed de cada pessoa tem o equilíbrio certo de conteúdos orgânicos e anúncios publicitários”. Idealmente para seus acionistas, o Facebook vai ter que adicionar mais usuários e vender conteúdos por valores maiores para continuar sua trajetória de sucesso nesse sentido.

Esse é um dos motivos pelos quais a rede social está incentivando seus usuários a produzir vídeos, com cuidado especial para as transmissões ao vivo. A companhia também pode usar outros de seus produtos como o Instagram, o Oculus e o Messenger para ampliar suas receitas, além de poder apelar para sua Audience Network como forma de aprimorar sua performance comercial.

Cupons de desconto TecMundo: