Doja Cat faz cirurgia e cancela shows devido a uso de cigarro eletrônico

2 min de leitura
Imagem de: Doja Cat faz cirurgia e cancela shows devido a uso de cigarro eletrônico
Imagem: Divulgação/Reprodução Internet.
Avatar do autor

*Este texto foi atualizado às 17:54 do dia 25/05/2022.

A cantora Doja Cat precisou fazer uma cirurgia de emergência nas amídalas e vai ter de ficar um tempo sem cantar. O motivo? Segundo a própria cantora, o uso de cigarro eletrônico e álcool enquanto estava com dor de garganta.

"Eu estava tomando antibióticos, mas esqueci que estava tomando e então bebi vinho e usei 'vape' o dia todo e então comecei a ter um crescimento desagradável na minha amígdala, então tiveram que fazer uma cirurgia nela hoje", escreveu a cantora, em sua conta na rede social Twitter, no dia 19 de maio.

No dia 20, veio o comunicado da cantora:

"Oi pessoal. Eu gostaria que vocês escutassem de mim primeiro. Infelizmente, eu precisei fazer uma cirurgia urgente nas minhas amígdalas. A cirurgia é de rotina, mas a recuperação vai levar um tempo por causa do inchaço. Isso significa que eu vou ter que cancelar minha participação em festivais neste verão, assim como a turnê do The Weeknd. Eu me sinto horrível por isso, mas mal posso esperar ficar curada e voltar a fazer música e criar uma experiência para vocês todos."

Em outro post, a cantora constatou que todo o "veneno presente no vape" penetrou na sua "ferida completamente aberta na garganta", o que a levou à piora e à cirurgia. Doja Cat afirmou ainda que vai deixar o vape por um tempo e que espera não querer mais usá-lo depois disso.

Os riscos do cigarro eletrônico

Doja Cat não é a primeira a relatar problemas após o uso de cigarro eletrônico. Aqui no Brasil, o cantor sertanejo Zé Neto, que faz dupla com Cristiano, precisou passar por um tratamento no pulmão e, na época, fez um alerta quanto ao uso de vape.

Em uma entrevista ao jornalista Leo Dias publicada em vídeo no YouTube, Zé Neto diz que seu problema de saúde teve causas psicológicas, mas reafirmou o alerta: "O cigarro eletrônico com certeza faz mal, isso ficou comprovado", disse.

O cigarro eletrônico é composto por uma ponteira, um tanque para líquido e uma bateria, que aquece o líquido que é inalado, simulando o ato de fumar. Ele não possui alcatrão e monóxido de carbono - caso dos cigarros tradicionais -, mas pode conter nicotina. Já os líquidos que conferem sabor ao produto, também conhecidos como juices, têm fórmula desconhecida, contendo solventes e aromatizantes.

Embora ainda não haja uma resposta definitiva quanto aos riscos à saúde, a nicotina causa dependência e o vapor pode aumentar as chances de infecções pulmonares e outras doenças.

Fontes