Pimentas espaciais: astronautas colheram (e comeram) o condimento na ISS

3 min de leitura
Imagem de: Pimentas espaciais: astronautas colheram (e comeram) o condimento na ISS
Imagem: ISS/Instagram
Avatar do autor

O dia 29 de outubro ficará registrado na história da Estação Espacial Internacional (ISS) como o dia em que foram colhidas as primeiras pimentas no local. A data foi saudada no Twitter da missão “como parte do estudo Plant Habitat-04 (PH-04), um dos experimentos com plantas de estação mais desafiadores até hoje”.  Coube ao engenheiro de voo Mark T. Vande Hei a honra de colher a primeira safra de pimentas malaguetas espaciais.

Para continuar fazendo as honras, outra astronauta da NASA, a havaiana Megan McArthur, aproveitou as pimentas recém-colhidas para preparar uma receita de tacos, feitos com fajitas de carne e vegetais. Em sua conta do Twitter, Megan garantiu se tratar dos "melhores tacos espaciais de todos os tempos". Pelo menos, os mais leves, podemos afirmar com certeza.

As sementes de pimenta foram levadas à ISS em junho para participação em um experimento da NASA para averiguar que tipos de alimentos podem ser cultivados no espaço. As sementes foram plantadas originalmente por uma equipe do Centro Espacial Kennedy em um dispositivo chamado transportador de ciência que se encaixa no Advanced Plant Habitat (APH), uma das três câmaras de crescimento de plantas da ISS.

Pimentas podem ser levadas para Marte

Em postagem no seu blog em julho, a NASA explicou que as pimentas deveriam crescer por cerca de quatro meses, destacando ser esta "a primeira vez que os astronautas da NASA vão cultivar uma safra de pimenta na estação desde as sementes até a maturidade". A recomendação foi que a tripulação poderia comer as pimentas se parecessem boas, e reservaria uma parte para retornar à Terra para estudos.

Apesar do aspecto festivo do cultivo da pimenta espacial, o investigador principal do PH-04, Matt Romeyn, reconheceu, na época do embarque, que se tratava de um dos experimentos de planta mais complexos já realizados na estação espacial até o momento, devido à longa germinação e aos tempos de crescimento. Segundo o cientista de projeto, os astronautas tiveram de polinizar manualmente as flores das pimentas para produzir frutos.

Romeyn explicou que a experiência não se limitou a um festival de tacos, mas se insere em um projeto maior que visa avaliar "a capacidade de alimentar tripulações na órbita baixa da Terra e, em seguida, sustentar exploradores durante as missões futuras além da órbita baixa da Terra para destinos como a Lua, como parte do programa Artemis, e eventualmente Marte”. A ideia é produzir safras que não necessitem de armazenamento nem de processamento intenso.