SpaceX: Dragon chega à ISS com formigas, abacates e braço robótico

1 min de leitura
Imagem de: SpaceX: Dragon chega à ISS com formigas, abacates e braço robótico
Imagem: SpaceX
Avatar do autor

Após decolar com sucesso do Kennedy Space Center da NASA na madrugada do domingo (29), a mais recente missão Dragon da SpaceX chegou à Estação Espacial Internacional (ISS) às 11h30 (horário de Brasília) da segunda-feira (30). Entre os 2,2 mil kg de suprimentos, experimentos e hardware, o que chamou a atenção foi um delivery inusitado: formigas, abacates e um braço robótico.

O contato entre os dois artefatos orbitais ocorreu após uma "perseguição" que durou mais de 32 horas, quando enfim a cápsula Dragon atracou no módulo Harmony da ISS, a 425 quilômetros acima da Austrália Ocidental. Já existe outro veículo da SpaceX atracado na estação espacial desde o dia 23 de abril: o Crew Dragon "Endeavour".

DragonCapsula Dragon em preparação para decolagem (crédito: NASA)

Na chegada à ISS, os astronautas foram saudados pela colega da NASA, Megan McArthur, que está completando 50 anos hoje, com a mensagem: "Parabéns às equipes da NASA e da SpaceX e muito obrigado. Ninguém nunca me enviou uma nave espacial no meu aniversário antes".

A carga esquisita da cápsula Dragon da SpaceX

A colônia de formigas que desembarcou hoje na ISS foi enviada pelas Escoteiras dos EUA, junto com artêmias (um crustáceo “primo” do camarão) e algumas plantas, para realização de testes.

Os cientistas da Universidade de Wisconsin-Madison enviaram sementes de agrião orelha-de-rato, uma erva daninha normalmente utilizada em pesquisas genéticas. Alguns materiais como concreto e células solares também foram enviados para submissão à ausência de gravidade.

Já o braço robótico, chamado de GITAI S1 Robotic Arm Tech Demo, foi descrito pela tripulação como uma “pesquisa que testa o desenvolvimento de robôs para apoiar as atividades intraveiculares da tripulação e, eventualmente, as atividades extraveiculares". Trata-se de uma réplica de braço humano capaz de executar tarefas como manutenção, montagem e manufatura em órbita, substituindo o trabalho de astronautas.