Coronavírus pode ter mais de 4 mil variantes em todo o mundo

1 min de leitura
Imagem de: Coronavírus pode ter mais de 4 mil variantes em todo o mundo
Imagem: Rawpixel
Avatar do autor

Podem existir mais de 4 mil variantes do novo coronavírus em todo o mundo no momento, conforme o alerta dado nesta quinta-feira (4) pelo ministro britânico Nadhim Zahawi, do Desenvolvimento de Vacinas, em entrevista ao canal Sky News.

Essas milhares de variações do Sars-CoV-2 foram surgindo à medida que o causador da covid-19 se espalhou pelo planeta e sofreu mutações na sua replicação, processo que afeta praticamente qualquer tipo de vírus, como o da gripe — eles buscam formas de evoluírem geneticamente e se tornarem mais resistentes aos medicamentos, entre outras possibilidades.

Apesar do número alto, somente uma pequena parcela dessa enorme quantidade de variantes é relevante e tem poder de alterar o coronavírus de maneira significativa, segundo o British Medical Journal. Uma dessas mutações é a britânica, cientificamente chamada de VUI-202012/01 ou B.1.1.7., que apresenta modificações na proteína spike, que é usada pelo vírus para se ligar ao organismo humano.

A vacinação atual tem eficácia contra todas as variantes, segundo o ministro britânico.A vacinação atual tem eficácia contra todas as variantes, segundo o ministro britânico Nadhim Zahawi.Fonte:  Rawpixel 

Também há outras variações do vírus que têm ganhado destaque nas últimas semanas, como as detectadas na África do Sul e no Brasil. Estudos preliminares sugerem que elas apresentam uma maior capacidade de transmissão, gerando preocupação em relação ao aumento do número de casos da doença.

Como isso afeta as vacinas?

Segundo Zahawi, as milhares de variantes do novo coronavírus não devem gerar grandes impactos na eficácia das vacinas contra a covid-19 utilizadas no momento. O ministro acredita ser “muito improvável” que os imunizantes atuais não sejam eficientes contra qualquer uma das mutações, principalmente em relação à prevenção de sintomas graves e à hospitalização.

Ele disse ainda que a Pfizer, a Moderna e as demais fabricantes têm pesquisado maneiras de melhorar suas vacinas e garantir eficácia contra todas as mutações do vírus.

O representante do governo britânico comentou também que o Reino Unido está preparado para “qualquer desafio que o vírus apresentar”, inclusive produzir uma nova vacina se for preciso.