Tirar sangue para fazer exames é sempre algo desagradável, tanto para o paciente, que geralmente sente-se desconfortável nessa situação, quanto para enfermeiros, que tem pela frente uma tarefa sempre chata e que exige atenção e habilidade. Pensando nisso, a Universidade de Rutgers desenvolveu um robô capaz não apenas de fazer o serviço de coleta realizado por profissionais de carne e osso, mas também de analisar a amostra e apresentar o resultado.

Ao contrário de um ser humano, o robô tem maior precisão ao alinhar veia e agulha

Por enquanto, o robô foi testado apenas em braços artificiais que simulam com precisão a pele, os músculos e as veias de um ser humano, mas o dispositivo é capaz de detectar uma veia e extrair o sangue dela com uma agulha. Após o procedimento, o robô já inicia uma análise básica.

Medicina do futuro

Quando for possível utilizar o robô em humanos, o paciente vai colocar seu braço na plataforma sob o braço do dispositivo, que usa uma câmera para escanear o braço e identificar as veias. Ao contrário de um ser humano, o robô tem maior precisão ao alinhar veia e agulha. Uma vez que o robô tenha acessado a veia, ele vai começar a extrair sangue diretamente para um dispositivo de teste. O sangue flui para uma centrífuga, onde tem as células sanguíneas separadas do plasma.

Caso o trabalho dos robôs de punção venosa continue avançando, isso pode ser um benefício substancial para médicos e outros profissionais da área. Este robô, por exemplo, poderia realizar uma gama completa de coleta de sangue e testes em um único local em vez de usar humanos falíveis para retirar sangue, processando-o manualmente e enviando-o para teste.