(Fonte da imagem: LinuxFeed)

O Firefox OS ainda nem completou um ano de existência, mas já está dando o que falar — especialmente no Brasil, onde o sistema se provou uma excelente alternativa para fabricação e comercialização de celulares populares. Completamente aberto e baseado em Linux, o sistema móvel da Mozilla foi inicialmente batizado de Boot to Gecko e chama a atenção por conta de seu ecossistema baseado em HTML5, o que facilita muito a vida dos desenvolvedores e impulsiona a criação de aplicativos variados.

Andreas Gal, vice-presidente da divisão de mobile da Mozilla, esteve presente na Campus Party 2014 e comentou sobre as vantagens do SO em um dos keynotes mais movimentados do evento. Posteriormente, o executivo conversou com a equipe do Tecmundo e nos contou um pouco sobre seu trabalho na Mozilla Foundation. De acordo com Gal, a empresa decidiu trabalhar em um sistema operacional móvel de natureza aberta ao perceber que o ecossistema dos SOs disponíveis no mercado são construídos para beneficiar somente seus criadores.

Para Gal, uma das coisas mais interessantes no projeto do Firefox OS é sua natureza colaborativa. Desenvolvedores ao redor do mundo inteiro participam ativamente do desenvolvimento do sistema operacional, sugerindo funcionalidades, programando recursos e corrigindo bugs. “A Mozilla tem uma comunidade muito forte de desenvolvedores e parceiros, e isso é algo muito importante. Afinal, não temos um número tão grande de empregados quanto a Google ou a Apple”, comenta.

Andreas Gal durante a Campus Party 2014 (Fonte da imagem: Estadão)

Um projeto de sucesso

Andreas também afirmou estar muito feliz com a aceitação do Firefox OS no Brasil e em outros mercados emergentes da América Latina, locais que ainda possuem demanda por smartphones de baixo custo. “Obviamente, não podemos falar de números, pois as estatísticas mais detalhadas pertencem à Telefônica|Vivo”, explica Gal. “Contudo, na Colômbia 9% das vendas de smartphones são de aparelhos com Firefox OS”, observa.

Um dos principais objetivos da Mozilla é destruir de vez o mercado de features phones — ou seja, aqueles aparelhos que não possuem qualquer tipo de sistema operacional. Gal ressalta que a parceria com a Telefônica|Vivo foi muito importante e possibilitou a criação de aparelhos projetados especialmente para o público brasileiro. Para o executivo, o objetivo foi cumprido “com sucesso” e a Mozilla está conseguindo agradar a seu público-alvo com aparelhos acessíveis que as pessoas realmente apreciam.

Alcatel One Touch Fire, um dos aparelhos com Firefox OS disponíveis no Brasil (Fonte da imagem: Tecmundo)

Planos para o futuro

Quando questionado sobre as possíveis parcerias da Mozilla para criação de tablets e SmartTVs com sistema Firefox OS, Andreas é categórico e ressalta que esses dispositivos não serão o foco da companhia durante o ano de 2014. Por enquanto, o objetivo da empresa será simplesmente o de levar o Firefox OS para o maior número de pessoas possível.

Além disso, Gal também revelou que smartphones high-end poderão ser eventualmente lançados com o software, mas que os holofotes sempre continuarão acesos na direção dos gadgets de baixo custo. “Nosso objetivo não é competir com o iPhone”, explica. “Neste ano, contudo, vocês podem esperar mais lançamentos, mais aparelhos e diversas otimizações no sistema operacional.”

Finalizando, Andreas também afirmou estar muito animado com a comunidade brasileira de mozillians e diz “ter aprendido muito” em sua visita ao Brasil para a Campus Party. Nós é que agradecemos a presença e os esforços da Mozilla em atender o público de baixa-renda, Gal! Mas será que o executivo não ficou chateado com a falta de WiFi no evento ou com o apagão noticiado anteriormente pelo Tecmundo?

Cupons de desconto TecMundo: