(Fonte da imagem: Reprodução/Cupertino)

Em 2011 surgiu a revelação sobre a nova sede que a Apple projetava para ser construída em Cupertino. O terreno destinado para o quartel general da companhia possui 708.000 m2, sendo maior que o Pentágono.

O edifício que comportará os colaboradores da empresa se destaca por seu visual, que lembra uma nave espacial, como você pode conferir nesta notícia. O projeto é bastante ambicioso e por isso já teve seu prazo prorrogado para 2016 e seu orçamento já atinge os US$ 5 bilhões (US$ 2 bilhões a mais que os cálculos iniciais). Clique aqui para conferir mais informações técnicas do QG da Maçã.

Todo esse planejamento de design e construção está sob responsabilidade da Foster+Partners, empresa comandada pelo famoso arquiteto inglês Norman Foster, que ganhou notoriedade nessa indústria ao entregar edifícios e aeroportos enormes e repletos de tecnologia em importantes cidades do mundo, incluindo Hong Kong, Londres, Nova York e Beijing.

Em entrevista para o site Architectural Record, o executivo falou um pouco mais sobre a futura sede da Apple, defendendo o tamanho do prédio e o seu formato estranho e ainda deu mais detalhes sobre a concepção do projeto.

Inspiração acadêmica

(Fonte da imagem: Reprodução/Cupertino)

Planejado para ser ocupado por até 12 mil funcionários (há quem diga que esse número chegue a 14.200), o quartel general da Maçã é como uma espécie de universidade, mencionou Foster. “Você pode compará-la com uma típica universidade com a mesma capacidade ocupacional”.

Na verdade, Steve Jobs teria se inspirado no campus da Stanford University para criar os primeiros esboços do novo QG da companhia. A principal diferença é que a sede da Apple não terá vários prédios como uma instituição de ensino dessa magnitude possui, mas apenas um edifício central gigantesco que ocupará somente 13% da área total do terreno.

Nada é por acaso

(Fonte da imagem: Reprodução/Cupertino)

Quanto ao seu formato, primeiro Foster revelou que foi buscar inspiração nas praças de Londres, onde um anel de prédios com vários andares cerca o parque da localidade. "Esses estudos finalmente transformaram [o projeto] em um edifício circular que coloca o espaço privado no centro — sendo essencialmente um parque que replica a paisagem original da Califórnia", comentou ele.

Além disso, o arquiteto alega que um prédio oval permite uma locomoção mais fácil e em menor tempo do que vários edifícios distintos, mesmo que eles estejam próximos. “Embora em casos extremos as distâncias sejam grandes, elas não são tão distantes quando comparadas com um campus convencional”, afirmou ele.

De olho no verde

O chefão da Foster+Partners ainda argumentou a ideia de deixar a área externa do prédio mais “limpa” e sociável. "Você não vai olhar para fora de sua janela e ver fileira após fileira de carros estacionados", disse ele explicando a decisão de adotar estacionamentos subterrâneos.

(Fonte da imagem: Reprodução/Cupertino)

Para Foster, a ideia é “banir visualmente os carros, substituindo o asfalto por vegetação e os estacionamentos por parques de corrida e bicicleta”. Aliás, o executivo revelou que ficarão disponíveis mais de mil bicicletas na sede da Apple para que seus funcionários usem.

Por fim, o arquiteto comentou sobre o arrojado projeto de deixar o prédio completamente transparente. “Você tem paredes de vidro de quatro andares de altura que podem, literalmente, se mover para os lados e abrir para a paisagem externa”, entregou Norman Foster.

Cupons de desconto TecMundo: