Um grupo de malandros foi preso em Madri, na Espanha, após roubar diversas vezes uma unidade da Apple Store de uma forma bastante curiosa.

Para não disparar qualquer tipo de alarme, um dos jovens meliantes simplesmente mastigava o cabo de segurança que une cada iPhone ao terminal de teste. Tudo isso era feito de forma bem discreta, para parecer que a pessoa só estava vendo o celular com o rosto bem próximo da tela. Em seguida, com a corda já frouxa, o aparelho era arrancado e passado de mão em mão até um dos membros da gangue que estava mais perto da porta. Como eles entravam em até oito pessoas de uma vez nas lojas da Apple para fingir interesse nos produtos e circulavam por todo o estabelecimento, os funcionários demoraram para perceber o ocorrido.

Ao notar o sumiço constante de iPhones na loja, a equipe analisou as câmeras de segurança e entendeu o procedimento da gangue. Em pouco mais de dois meses, 24 smartphones foram furtados do local. Os dez criminosos — oito deles menores de idade — foram detidos em flagrante pela polícia de Madri quando tentaram revender um dos dispositivos surrupiados. Os adultos presos receberam uma ordem judicial de restrição e não podem se aproximar a menos de 100 metros de uma Apple Store.

Vale lembrar que, em outubro de 2016, a Apple começou a remover esses cordões de segurança em algumas das lojas por entender que eles são uma limitação para a experiência de teste do consumidor. E essa não é a única vez que uma forma não convencional de roubo foi realizada: no fim do ano passado, ladrões limparam a loja de Palo Alto, na Califórnia, entrando direto com o carro no estabelecimento.