Sabe aquela história de que a vítima não tem culpa? Pois bem, parece que Benjamin Golden, acusado de agredir um motorista do Uber enquanto estava bêbado, não conhece bem o que isso significa. Depois de ser gravado dando socos, tapas e puxando o cabelo de Edward Caban, o ex-executivo do Taco Bell decidiu processar seu alvo e pedir uma indenização de US$ 5 milhões sob a alegação de invasão de privacidade, já que o vídeo foi gravado sem seu consentimento.

O episódio aconteceu há alguns meses: Golden estava visivelmente bêbado e solicitou uma viagem pelo Uber. Caban se prontificou para fazer a corrida, mas ficou extremamente frustrado ao perceber que seu passageiro não disse para onde queria ir, tinha muita dificuldade em apontar as direções e até mesmo cochilava de vez em quando.

Foi aí que o motorista decidiu encerrar a corrida e solicitou que Golden saísse do carro, motivo que o fez receber socos, tapas e puxões de cabelo. Tentando se defender, Caban espirrou spray de pimenta em seu agressor e chamou a polícia. Tudo foi gravado por uma câmera instalada no carro da vítima. Na ocasião, ele entrou com um processo em que pedia US$ 25 mil por danos.

Sofrendo as consequências

Pouco tempo depois de o caso vir à tona, foi descoberto que Benjamin Golden era um executivo da rede Taco Bell. Ele foi prontamente demitido e, posteriormente, deu diversas entrevistas, nas quais disse que "não se reconhece nas filmagens". Golden afirmou ainda: "Foi difícil assistir e estou com vergonha".

O sentimento, no entanto, parece ter passado relativamente rápido, já que o ex-executivo alega que foi a vítima da situação e entrou com a ação pedindo uma reparação por ter sido humilhado – já que a filmagem resultou na perda do seu emprego. Outras alegações incluem invasão de privacidade, agressão (pelo spray de pimenta) e ter sido submetido a uma situação de estresse emocional.

Já do lado de Caban, o então motorista nunca mais fez qualquer corrida pelo Uber. Segundo seu advogado, o rapaz ficou extremamente traumatizado com a situação e teme por sua segurança.

E aí, você acha o cara que agrediu o motorista do Uber tem razão? Comente no Fórum do TecMundo