Por conta dos rumores e vazamentos sobre o Galaxy S7 – algo que tem se tornado cada vez mais frequente no mercado de smartphones –, o anúncio oficial do aparelho e de seu irmão maior – o Galaxy S7 edge – pode não ter sido tão surpreendente assim para alguns. Entretanto, mesmo com o público já conhecendo diversas características desses modelos, a Samsung ainda conseguiu inovar e apresentar uma série de novidades interessantes relacionadas a ambos.

Apresentado oficialmente no dia 21 de fevereiro durante o Mobile World Congress (MWC) 2016, o maior evento do mercado mobile no ano, o Galaxy S7 é o mais novo smartphone top de linha da empresa sul-coreana. Ele foi revelado juntamente com o Galaxy S7 edge, a variante com tela de bordas curvas que, desta vez, chega com uma tela um pouco maior quando comparado ao modelo de display plano.

Será que vale a pena investir no novo smartphone top de linha da Samsung? Como será que o Galaxy S7 se sai contra os principais concorrentes do mercado? E quais foram as principais mudanças com relação ao modelo antecessor, o Galaxy S6? O TecMundo analisou esse aparelho e responde a essas e muitas outras dúvidas em mais uma análise completa.

O smartphone Samsung Galaxy S7 foi gentilmente cedido por empréstimo pela Samsung para a realização desta análise.

Especificações técnicas do Samsung Galaxy S7

  • Modelo: SM-G930F
  • Sistema operacional: Android 6.0 (Marshmallow)
  • Tecnologia de tela: Super AMOLED
  • Tamanho da tela: 5,1 polegadas
  • Tecnologia de proteção: Corning Gorilla Glass 4
  • Resolução da tela: 2560x1440 pixels (QHD)
  • Densidade de pixels: 577 ppi
  • Chipset: Samsung Exynos 8890
  • CPU: Quad-core de 2,3 GHz Cortex-A53 + quad-core de 1,6 GHz Cortex-A53
  • GPU: Mali-T880 MP12
  • Memória RAM: 4 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB
  • Armazenamento externo: cartão micro SD de até 200 GB
  • Câmera traseira: 12 MP, abertura f/1.7, pixels de 1,4 µm, dual pixel e dual-LED
  • Câmera frontal: 5 MP
  • Modos da câmera traseira: Automático, Pro (manual), Foco seletivo, Panorama, Colagem de vídeo, Transmissão ao vivo, Movimento lento, Foto virtual, Alimentos e Intervalado
  • Modos da câmera frontal: Selfie, Selfie Panoramica, Colagem de vídeo, Transmissão ao vivo e Foto virtual
  • Bateria: 3.000 mAh (não removível)
  • Conectividade: micro USB 2.0, WiFi 802.11 a/b/g/n/ac, Wi-Fi Direct, hotspot, Bluetooth 4.2 , GPS (A-GPS, GLONASS e BDS) e NFC
  • Sensores: acelerômetro, barômetro, batimentos cardíacos, bússola, giroscópio, leitor de digitais e proximidade
  • Altura: 142,4 mm
  • Largura: 69,6 mm
  • Espessura: 7,9 mm
  • Peso: 152 gramas
  • Cores disponíveis: Black Onyx (preto), Gold Platinum (dourado) e Silver Titanium (prata)
  • Extras: suporte ao carregamento sem fio, certificação IP68 (proteção contra água e poeira), tecnologia Always On Display (AOD)
  • Data de anúncio: 21 de fevereiro de 2016
  • Data de lançamento (EUA): 11 de março de 2016
  • Data de lançamento (Brasil): 18 de março de 2016
  • Preço oficial de lançamento (Brasil): R$ 3.799

Design

Quem vê o Galaxy S7 pela primeira vez pode pensar que praticamente não houve mudanças com relação ao antecessor. De fato, o novo smartphone da Samsung não apresenta uma evolução considerável em termos de design quando comparado ao Galaxy S6. Contudo, a fabricante pensou sim nesse aspecto e trouxe mudanças sutis, mas importantes para o seu top de linha.

Os materiais utilizados na construção da carcaça do aparelho são essencialmente os mesmos. De ambos os lados, tanto na parte da frente quanto na de trás, encontramos o mesmo vidro usado no Galaxy S6, que é protegido pela tecnologia da Corning, o Gorilla Glass 4. A superfície transmite bastante resistência e dificilmente acumulará riscos.

Nas bordas, encontramos o mesmo material metálico do antecessor. Em conjunto com o vidro, esse detalhe confere aquele aspecto premium que foi muito elogiado no Galaxy S6. Por isso, podemos afirmar com tranquilidade que o Galaxy S7 continua sendo um smartphone bonito, tão belo quanto o modelo anterior.

Porém, é na parte de trás que encontramos as principais mudanças. Agora, as bordas laterais possuem uma curvatura suave, algo muito semelhante ao que foi visto no Galaxy Note 5. Essa mudança sutil faz uma diferença enorme na pegada, pois favorece a ergonomia e passa segurança para quem manuseia o smartphone. A modificação fica bem evidente quando seguramos o Galaxy S6 e o Galaxy S7 ao mesmo tempo.

Outra mudança positiva é a diminuição da protuberância da câmera. Com a adoção de um novo sensor, essa saliência foi bastante reduzida se comparada à do antecessor, o que é bom tanto para o visual quanto para a ergonomia. Porém, vale ressaltar que a câmera ainda não está no mesmo nível do restante da carcaça do aparelho.

Entretanto, uma crítica em relação ao Galaxy S7 foi herdada do Galaxy S6. O smartphone é um verdadeiro "ímã para digitais", já que o material em vidro que cobre o seu corpo sofre com constantes marcas de dedo e gordura da mão que aparecem de forma escancarada. Essa é uma situação difícil de ser evitada e que provavelmente pode incomodar bastante os futuros donos do aparelho.

Com relação aos outros aspectos, não há muitas diferenças em relação ao Galaxy S6. A posição dos botões de volume e ligar/desligar permanece a mesma, mas a do slot para o cartão SIM agora está na parte superior do dispositivo e também comporta um cartão micro SD. Na base, encontramos o alto-falante mono e a mesma entrada micro USB. Portanto, nada de padrão USB Tipo C ainda.

Certificação IP68

Além do suporte ao cartão micro SD, a Samsung reviveu outra característica para o Galaxy S7. Agora, diferente de seu antecessor, o smartphone possui a certificação IP68, o que garante ao aparelho resistência contra água e poeira. Esse é o resultado dos esforços da empresa em aprimorar o design e torná-lo mais "selado", algo que não fica evidente quando apenas observamos o visual do dispositivo.

Graças a esse recurso, o Galaxy S7 consegue aguentar até 30 minutos submerso em água em uma profundidade de até 1,5 metro. Vale ressaltar que o novo top de linha ainda conta com um sensor na entrada micro USB que impede o carregamento quando o aparelho está úmido ou molhado, o que é muito bom para evitar possíveis acidentes.

Tela

O Super AMOLED é uma das tecnologias mais promissoras para equipar o display dos smartphones. Ciente disso, a Samsung tem trazido essa característica nas últimas versões da linha Galaxy S, oferecendo uma excelente experiência visual já nos modelos anteriores.

No Galaxy S7, isso não é diferente. Mantendo a tela de 5,1 polegadas do antecessor e a mesma resolução QHD (2560x1440 pixels), o smartphone é capaz de exibir cores bastante vibrantes e um contraste praticamente imbatível nesse segmento. O aparelho oferece um brilho intenso e equilibrado, e quase não há reflexo para quem o encara de outros ângulos. As imagens mostradas ainda contam com uma nitidez incrível.

A partir da nossa análise, podemos dizer sem medo que essa é a melhor tela disponível atualmente no mercado de smartphones. Como destaque, podemos mencionar a novidade batizada de Always On Display, recurso que permite exibir algumas informações úteis enquanto a tela está "desligada".

Através do recurso Always On Display, é possível mostrar o relógio, o calendário ou até mesmo algumas imagens simples. Ainda dá para modificar a forma como cada uma dessas informações será exibida. Essa função se mostrou bastante útil e econômica, praticamente não gastando energia. Além disso, a funcionalidade é inteligente o suficiente para desativar a exibição quando o celular está no bolso ou com a tela virada para baixo.

Interface

Aqui foi outro ponto no qual a Samsung preferiu jogar seguro, mas trouxe novidades interessantes. Não houve mudanças significativas no TouchWiz se comparado lado a lado com a versão anterior da interface implementada pela empresa. Porém, a janela de notificações, por exemplo, está mais bonita e agora pode ser expandida para exibir mais ferramentas – exatamente como já acontece no Android puro e em outras variações do sistema operacional.

Aplicativos pré-instalados no Galaxy S7.

O TouchWiz que equipa o Galaxy S7 ocupa pouco mais de 7 GB, o que é um valor considerável, mas não vai atrapalhar, por conta do total de 32 GB. Vale ressaltar que há poucos apps pré-instalados na versão que recebemos para teste, o que vale um elogio para a fabricante. No smartphone, damos destaque para a suíte da própria Samsung, da Google e da Microsoft. Confira os apps que já vêm nele:

Samsung

  • Meus Arquivos (gerenciador de pastas e arquivos)
  • SAMSUNG Members
  • Samsung Gear
  • Samsung Pay
  • Gravador de Voz
  • E-mail
  • Internet
  • S Health
  • S Voice
  • S Planner
  • Galaxy Apps
  • Smart Tour
  • Manual do usuário
  • Notas

Suíte de aplicativos da Samsung.

Google

Suíte de aplicativos da Google.

Microsoft

Suíte de aplicativos da Microsoft.

Social

Suíte de aplicativos sociais.

O Galaxy S7 vem equipado de fábrica com o Android Marshmallow e com certeza receberá as próximas atualizações disponibilizadas pela Google. Porém, a Samsung resolveu deixar de lado uma das principais novidades dessa versão do sistema operacional: no TouchWiz, não é possível transferir e instalar os aplicativos no cartão micro SD, o que possibilitaria liberar espaço na memória interna.

Samsung Pay

Como a Samsung havia prometido, o Samsung Pay chegou junto com o smartphone top de linha da companhia. Oito instituições bancárias vão receber o sistema de pagamento e isso envolve algumas das maiores do país — mas ainda está longe de abranger a totalidade da população. A lista brasileira é composta por: Banco do Brasil, Bradesco, Brasil Pré-Pagos, Caixa, Itaú Unibanco, Nu Bank, Porto Seguro e Santander. Agora, clientes desses bancos e que sejam proprietários de aparelhos Samsung com suporte ao Pay poderão fazer compras e pagamentos com muito mais facilidade.

Desempenho

Como era de se esperar, o Galaxy S7 é um smartphone surpreendente quando o assunto é perfomance. Os testes de benchmark que realizamos com o aparelho realmente comprovam que esse será um dos modelos equipados com Android mais poderosos de 2016.

Nota-se que a Samsung resolveu não economizar em seu aparelho top de linha: o Galaxy S7 vem com 4 GB de memória RAM, o que é mais do que suficiente para lidar com jogos e aplicativos simultâneos. Além disso, o smartphone da empresa sul-coreana possui CPU e GPU poderosos, conjunto que confere um desempenho excelente.

Entretanto, ao tocarmos no assunto sobre o processador, é preciso mencionar uma diferença importante existente entre as variantes do Galaxy S7 distribuídas internacionalmente e a vendida nos Estados Unidos. No mercado norte-americano, o aparelho será equipado com o Snapdragon 820, o chipset mais poderoso disponibilizado pela Qualcomm.

Já na versão internacional, aquela que será vendida aqui no Brasil, a Samsung utiliza um chipset próprio, o Exynos 8890, para compor o seu smartphone top de linha. De acordo com alguns testes de desempenho que avaliaram as duas variações, existe uma diferença significativa entre os dois modelos, o que acabou gerando alguma polêmica. Porém, é bom deixar claro que o Galaxy S7 se mostrou extremamente capaz, atendendo com sobra qualquer atividade imposta sobre ele em nossos testes.

As capacidades do Galaxy S7 ficam evidentes ao rodarmos alguns jogos pesados. Need for Speed: Most Wanted, GTA: San Andreas, N.O.V.A 3O Espetacular Homem-Aranha 2 e tantos outros que exigem bastante da CPU e da GPU rodaram de forma fluida e com muita tranquilidade. O mesmo vale para apps de produtividade, redes sociais, mensageiros e navegadores, além de aplicativos funcionando de forma simultânea.

Em nossos testes, o Galaxy S7 esquentou pouco, mesmo rodando jogos e fazendo gravações em resolução 4K. O novo sistema de resfriamento "líquido" implementado pela Samsung – que não utiliza líquidos no processo – funciona muito bem, possibilitando o aumento de desempenho que a Samsung havia prometido sem alcançar níveis absurdos de temperatura.

Game Launcher

Uma novidade interessante para os amantes de jogos é o recurso chamado de Game Launcher, uma espécie de gerenciador de games que reúne todos os títulos em um único lugar. Através dele, é possível bloquear os alertas de ligações e chamadas durante a jogatina, receber sugestões de novos games populares no momento e ativar alguns modos de economia de energia para aqueles que se aventuram a jogar quando a bateria está acabando, mas não querem terminar com toda a carga do aparelho.

O Game Launcher também permite bloquear os botões capacitivos do Galaxy S7 – o voltar e o gerenciador de tarefas –, além de fazer uma captura da tela ou até mesmo gravar um trecho do game. Apesar dos benefícios, sentimos falta de algumas ferramentas mais úteis, como a possibilidade de alocar recursos de hardware – ou suspender atividades em segundo plano – que permitiriam um aumento de desempenho dos jogos.

Sensores

Os sensores presentes no Galaxy S7 funcionam muito bem. Não tivemos problemas com o leitor de impressões digitais. Ele manteve a precisão do modelo anterior, e constatamos que ele é um pouco mais rápido que o Galaxy S6. Também não há do que reclamar do contador de passos, além dos medidores de frequência cardíaca e estresse. Todos oferecem resultados precisos e ótimas opções para acompanhar atividades físicas e outros indicadores.

Câmera

Não há como negar: a câmera é um dos aspectos mais importantes para um smartphone. Embora pareça ter havido um retrocesso por conta da redução de megapixels quando comparado ao Galaxy S6 – de 16 MP para 12 MP –, o Galaxy S7 manteve a tradição da linha e entrega uma qualidade de câmera excelente.

As fotos capturadas pelo smartphone são belíssimas, com um nível de detalhamento incrível, especialmente nas imagens capturadas com boas condições de iluminação. A reprodução das cores é vibrante e há um balanço de branco bem equilibrado.

Câmera traseira

Mas o verdadeiro destaque do Galaxy S7 é a rapidez no foco e nas capturas. Graças à tecnologia Dual Pixels, esse processo ficou duplamente melhor. Pela primeira vez na câmera de um smartphone, todos os pixels presentes no sensor possuem dois fotodiodos em vez de apenas um. O resultado disso é um foco tão rápido e preciso quanto o olho humano. Graças à abertura de f1.7 e pixels maiores de 1.4µm, há uma captação ainda maior de luz, o que resulta em fotos noturnas muito bonitas.

Câmera frontal

A câmera frontal, por outro lado, não apresentou melhorias significativas quando o comparamos com o antecessor. Ainda é possível capturar selfies incríveis, com ainda mais modos de embelezamento. Mas a maior novidade nesse segmento é a inclusão de um flash frontal fornecido pelo brilho da própria tela do aparelho.

Em gravações de vídeo, o Galaxy S7 também se destaca e mostra suas qualidades. A Samsung manteve a capacidade de gravar em 4K e os vídeos produzidos possuem muita qualidade. Um único problema é o chamado "efeito wobble", que encontramos em gravações com resoluções mais altas. O resultado desse efeito é a impressão de que os objetos no vídeo ficam "entortados", decorrente da movimentação rápida da câmera.

Comparativo: Galaxy S7

Comparativo: Galaxy S6

Bateria

A Samsung recebeu duras críticas com relação à autonomia de bateria do Galaxy S6. No sucessor, a empresa sul-coreana tentou corrigir o problema colocando uma bateria de maior capacidade. Agora, o smartphone conta com 3.000 mAh, uma mudança que se mostrou bastante efetiva em relação aos resultados apresentados pelo antecessor.

Usando o Galaxy S7 de forma moderada, com WiFi ligado na maior parte do tempo e assistindo a vídeos e rodando alguns jogos ocasionalmente, o smartphone da Samsung foi capaz de aguentar pouco mais de um dia e meio. Esse não é um resultado perfeito e não atendeu os dois dias prometidos pela empresa, mas é uma evolução considerável se levarmos em conta a autonomia do Galaxy S6. O destaque desse aparelho vai para o carregamento rápido, que, apesar de não contar com o Quick Charge 3.0, é capaz de ir de 0 a 100% em apenas 90 minutos.

Áudio

Com relação ao áudio do Galaxy S7, nenhuma novidade. O smartphone ainda oferece a mesma saída de áudio de seu antecessor, capaz de fornecer um som razoavelmente limpo e alto. Porém, esperávamos investimentos maiores neste departamento.

Teria sido interessante, por exemplo, a inclusão de alto-falantes estéreos para aprimorar a experiência sonora do Galaxy S7. Essa com certeza teria sido uma boa adição e que tornaria o aparelho mais condizente com sua faixa de preço e com a categoria de smartphone top de linha. Os fones de ouvido que acompanham o modelo são os mesmos da geração passada, um acessório bonito e de qualidade.

Pré-venda com Gear VR

Durante o evento de apresentação oficial do Galaxy S7 e do Galaxy S7 edge, no qual a Samsung revelou o preço oficial e data de lançamento desses aparelhos, a empresa sul-coreana também confirmou uma novidade para os que pretendem aproveitar o período de pré-venda. Entre os dias 18 de março e 1º de abril, os consumidores que comprarem um dos dois smartphones levará o Gear VR de brinde para aproveitar todas as funcionalidades do gadget.

Para quem não sabe, o Gear VR é o dispositivo de realidade virtual da Samsung que funciona com alguns aparelhos da própria marca. Ele oferece uma experiência imersiva para gravações 3D, além de uma nova forma de aproveitar jogos, filmes e fotos. Confira a análise do TecMundo para o Gear VR.

Vale a pena?

A partir da nossa análise, podemos concluir que o Galaxy S7 com certeza será considerado um dos melhores smartphones com Android de 2016. O aparelho manteve as características que foram tão elogiadas em seu antecessor, como o desempenho e o design premium, e aprimorou os pontos que haviam sido criticados.

Os destaques são o retorno do suporte ao cartão micro SD, os refinamentos do design favorecendo a pegada, a certificação IP68 de resistência contra água e poeira e a bateria mais parruda que a do antecessor. Esse conjunto de melhorias, em conjunto com o que já havia sido aprovado pelos consumidores, fez do Galaxy S7 um aparelho realmente tentador.

Porém, como tem acontecido nos últimos lançamentos mais aguardados, o preço inicial do Galaxy S7 – impressionantes R$ 3.799 – faz com que a sua aquisição seja extremamente difícil para a maioria dos consumidores. Se dinheiro não é um problema para você, com certeza vale a pena apostar nesse smartphone. Ele é mesmo a melhor opção Android atualmente e vai manter esse posto por um bom tempo.

Se o valor de lançamento foi um aspecto impeditivo para você, o melhor mesmo é focar nos aparelhos da geração passada e aguardar uma possível redução dos preços com a chegada de novos modelos. Vale ressaltar que o upgrade a partir do Galaxy S6 também não é uma manobra recomendada. Embora existam melhorias consideráveis, o antecessor do Galaxy S7 com certeza atende a todas as necessidades dos consumidores.

No geral, podemos considerar o Galaxy S7 como um refinamento do que já estava dando certo. Com o lançamento do Galaxy S6, a Samsung recebeu muitos elogios, mas também havia várias críticas. Agora, considerando seu novo top de linha, a Samsung se destaca por ter acertado bem mais do que errado. Ainda não estamos diante do smartphone perfeito, mas definitivamente podemos dizer que estamos no caminho certo.

Você prentende comprar o Galaxy S7? O que você achou desse smartphone? Comente no Fórum do TecMundo!