Pesquisadores alemães conseguiram replicar um processo de fusão nuclear similar ao que acontece no interior do Sol, e de todas as estrelas em geral, durante um experimento realizado ontem, em Greifswald, na Alemanha. A chanceler do país, Angela Merkel, que é doutora em Física, esteve presente e ligou o dispositivo batizado de Wendelstein 7-X stellarator.

O W7-X é um reator de fusão nuclear criado para realizar experimentos com esse tipo de reação. Atualmente, toda a energia nuclear gerada no planeta é proveniente da fissão nuclear, que gera lixo radioativo altamente perigoso. Por outro lado, a fusão nuclear, que consiste basicamente na união de dois átomos para a criação de um terceiro, libera muito mais energia e não deixa resíduos radioativos. Pelo contrário, seus resíduos podem ser utilizados em outras aplicações úteis.

Esse equipamento custou cerca de € 400 milhões ao governo alemão, algo em torno de R$ 1,7 bilhão. Contudo, ele não vai gerar nenhuma eletricidade para país, sendo apenas um dispositivo experimental para pesquisas nessa área, que ainda é muito pouco dominada pela ciência humana. A expectativa dos alemães é que esse investimento renda energia do mais limpo tipo possível em algumas décadas.

O reator W7-X já tinha sido ligado em dezembro para testes, aquecendo hélio. No experimento de ontem, foi usada uma quantidade de hidrogênio, sendo aquecida com micro-ondas de 2 megawatts. Isso gerou plasma de hidrogênio de baixa densidade e de alta temperatura. O reator deve conseguir aquecer esses elementos em até 100 milhões de graus Celsius, talvez o suficiente para fundir átomos de hidrogênio e transformá-los em hélio.

Será que os alemães vão conseguir gerar energia a partir de fusão nuclear já nas próximas décadas? Comente no Fórum do TecMundo