Será que o Google está satisfeito com a atualização? (Fonte da imagem: Reprodução/JohnCoughlin)

Você seguramente já conhece a série de polêmicas envolvendo a “gigante das buscas” e a Microsoft. Há alguns dias, inclusive, a Google solicitou à empresa fundada por Bill Gates que retirasse do ar o aplicativo YouTube para o Windows Phone. A não exibição de propagandas, a possibilidade de downloads de vídeos nativos e a reprodução de apenas o áudio dos clipes contrariam algumas convenções do mercado do entretenimento audiovisual online. Lembra-se?

Pois o app recebeu uma atualização justamente ontem (22) – prazo final estabelecido pela Google para retirada do software da Windows Phone Store. Agora, não é mais possível baixar quaisquer mídias do maior canal de exibição de vídeos da internet. Além disso, o recurso que permitia a execução de somente o som dos clipes foi também removido do aplicativo. Contudo, a interface Metro, a opção de compartilhamento e o gerenciamento de playlists sobreviveram.

Você costuma utilizar o app? (Fonte da imagem: Reprodução/WindowsPhoneStore)

Mas, ainda assim, a atualização feita deixou de lado um dos principais pontos observados pela Google: o YouTube app continua não exibindo as tão aclamadas propagandas. Recentemente, a Microsoft afirmou que incluiria sem problemas os tais anúncios em seu aplicativo uma vez que as APIs necessárias fossem devidamente liberadas pela empresa que “tudo busca e tudo vê”. Até o momento, nenhum comunicado oficial foi emitido pela Google.

Seriam os últimos suspiros?

A cobrança feita por meio de notificação judicial exige que o aplicativo seja removido remotamente da loja do Windows Phone até o dia 22 (ontem) – toda e qualquer atualização futura deveria ser, ainda de acordo com o documento, também bloqueada. Dessa forma, é de se pensar: até quando o aplicativo vai ficar disponível aos usuários?

Não bastasse a não remoção do aplicativo de sua loja online para o mobile, a Microsoft ainda atualizou o YouTube para o Windows Phone – contrariando, assim, as determinações legais iniciadas pela Google. Apesar de ter removido as opções de download de vídeos nativos e execução de apenas o áudio dos clipes, propagandas continuam não sendo exibidas pelo app – pelo menos até o momento desta postagem. (Fonte da imagem: Reprodução/3.bp)

“Temos estado em contato com a Google e continuamos acreditando que ambas as companhias [Microsoft e Google] podem trabalhar juntas para ‘lapidar’ o aplicativo em benefício aos nossos consumidores, parceiros e provedores de conteúdo”, disse um porta-voz da Microsoft ao site The Verge. Uma verdadeira novela mexicana essa, não?! Deixe sua opinião nos comentários e acompanhe as nossas atualizações para mais detalhes acerca do assunto.

Cupons de desconto TecMundo: