Já estamos em fevereiro e muitos consumidores já começam a se perguntar o que esperar para este ano. No começo do mês passado, a CES 2015 foi realizada em Las Vegas e nós pudemos conferir uma grande quantidade de aparelhos e serviços que vão movimentar o mercado durante o ano inteiro, mas é preciso dizer que isso não representa — nem de perto — tudo o que pode surgir.

O que podemos esperar, então? Empresas de software estão preparando novidades para o mercado, fabricantes de hardware lutam para acertar detalhes de aparelhos que devem ser mostrados ao longo do ano e todas possuem um objetivo em comum: fazer com que os consumidores aceitem bem suas novas armas, o que significa maiores lucros e sobrevivência no mercado.

Nós fizemos um levantamento com as principais expectativas que temos em relação às grandes empresas de tecnologia do mundo. O que deve surgir? Quais serão os nomes que serão mencionados com honras no final do ano? A resposta exata só teremos daqui a 11 meses, mas há grandes chances de que as previsões mostradas aqui estejam próximas do resultado.

Google

A Google ainda é a maior empresa de internet de todo o mundo — por mais que o Facebook tenha avançado fortemente nos últimos anos. Entretanto, os executivos de Mountain View sabem que não é possível manter o posto se não houver algum tipo de renovação nos produtos da companhia. Por essa razão, em 2015 nós podemos esperar a atualização de muitas ferramentas produzidas por lá.

Sem grandes surpresas, na metade do ano a Google deve realizar a edição 2015 do Google I/O, quando vai apresentar todas as novidades da próxima versão do Android. O mesmo deve valer para recursos do Chrome OS, que muito provavelmente aparecerá com ainda mais integração com os smartphones e tablets.

Como você já deve saber, o projeto do Google Glass deixou de ser uma prioridade e a empresa precisa de uma nova opção para os investimentos de recursos em inovação. Por causa disso, são bem grandes as chances de que vejamos muito mais integração com a “Internet das Coisas” em um futuro próximo.

Também é esperado que a Google traga algumas inovações para os consumidores que ainda não foram foco dela: as crianças. Como a adesão à tecnologia tem acontecido cada vez mais cedo, estima-se que a empresa esteja preparando novidades voltadas justamente para este público. Bernard Marr imagina que isso deve valer para o buscador e também para o YouTube e Chrome.

Facebook

Nos últimos anos, a empresa de Mark Zuckerberg adquiriu uma série de companhias menores para aumentar o seu portfólio e ampliar a participação no mercado. Nesse pacote podemos incluir o Instagram e o WhatsApp, que custaram altíssimas quantias de dinheiro para o Facebook e chacoalharam o mercado internacional de tecnologia.

Para 2015, não há expectativas de novas aquisições bilionárias, mas é certo que a empresa tem algumas cartas na manga para barrar o avanço de suas concorrentes — lembrando que o Twitter voltou a crescer e o WhatsApp, apesar de líder, possui alguns rivais com bastante força. Uma dessas cartas deve estar na tecnologia trazida do Oculus Rift — também comprada por Zuckerberg.

Isso significa que o Facebook deve colocar o Rift no mercado ainda neste ano, juntamente com diversas aplicações criadas especialmente para permitir a criação de novos mundos virtuais. Em relação à rede social propriamente dita, algumas novas ferramentas devem ser implementadas aos poucos, mas ainda é cedo para sabermos como isso será visto pelo consumidor.

Microsoft

Ainda em janeiro, a Microsoft realizou um grande evento nos Estados Unidos e mostrou diversas novidades que veremos no Windows 10. Além da já esperada integração entre computadores e portáteis, a chegada da Cortana aos PCs e algumas ferramentas que encurtam distâncias entre computadores e consoles Xbox também chamou a atenção. O mesmo vale para os sistemas holográficos do Windows.

Para os próximos meses, devemos apenas ver a consolidação de tudo o que já foi prometido pela empresa de Redmond. Isso significa que vamos ter contato com diversas builds do Windows 10, que aos poucos devem trazer estabilidade aos recursos em PCs e também em outros equipamentos — até que o sistema operacional fique completamente integrado entre as plataformas.

O Office também deve ganhar mais importância ao longo do ano. Com menos impacto no consumidor final, também há algumas expectativas de que a Microsoft apresente novidades relacionadas aos serviços de computação em nuvem, além de softwares baseados nesse tipo de tecnologia.

LG

Em 2013, a LG foi responsável pela criação do smartphone mais elogiado daquele ano, o G2. No ano seguinte, o G3 surgiu com grande potencial e não decepcionou os consumidores, obtendo muito sucesso comercial. Agora em 2015, a LG já apresentou o LG G Flex 2 (com tela curva) e continua recebendo elogios por parte da imprensa especializada... Mas isso não é o bastante.

Espera-se que nos próximos meses o G4 seja mostrado ao público, mas é preciso que haja alguma renovação nele. Por essa razão, as expectativas são de que a companhia coreana apresente um design diferente para o aparelho, que também deve ter integração avançada com uma nova geração de smartwatches ainda não revelados.

Indo para outro segmento, supõe-se que a LG vá continuar inovando nas televisões inteligentes. Durante a CES 2015, foram apresentados modelos com resolução 8K, mas não se sabe quando isso será visto nas lojas. Ainda assim, a companhia deve trazer diversos televisores com novos recursos Smart ao mercado internacional e pode ser que uma versão mais atualizada do WebOS seja lançada para isso.

Samsung

Existe ainda outra empresa sul-coreana que está no topo do mercado há anos: a Samsung. Desde o ano passado, já se cogita a diminuição de modelos presentes no mercado, e isso deve acontecer em 2015 e 2016, até que haja uma estabilização total destes aparelhos portáteis fabricados por ela. Mas, em relação aos flagships, sem surpresas: deve haver renovação das linhas Galaxy S, Galaxy Note e tablets Galaxy Tab.

Fugindo dos aparelhos Android, o Tizen pode voltar a ser visto em diversos aparelhos, desde smartphones até televisores, como já foi visto na CES 2015. Quem também deve ser bastante acionado durante o ano é o termo “Internet das Coisas”. Com a automação de equipamentos domésticos “Home Appliance”, devemos ver o Tizen integrado a fornos, geladeiras e diversos outros aparelhos.

Quanto aos vestíveis, o que se espera não foge muito do óbvio. A Samsung deve renovar os relógios Gear e Gear Fit, trazendo também mais possibilidades para os entusiastas da realidade virtual graças a novos recursos do Gear VR. Vale dizer também que em 2015, a Samsung deve se distanciar um pouco mais da Qualcomm, investindo mais fortemente em seus processadores próprios.

Sony

Os próximos anos serão decisivos para a Sony. O nome da empresa japonesa não possui mais o mesmo peso que tinha algum tempo atrás — quando PlayStation e Bravia eram líderes e referências no mundo todo. Hoje, a fabricante luta para reverter números negativos e ainda não encontrou a fórmula certa para estabilizar todos os seus nichos.

Quanto aos smartphones, já é um fato que a Sony está abandonando o segmento de aparelhos de entrada e intermediários. Neste ano ainda devemos ver o Xperia Z4 sendo colocado no mercado com hardware poderoso e muitos recursos, mas, se as vendas dele não forem satisfatórias, há chances de que ele seja o último. Em resumo: passos cautelosos devem marcar o 2015 da Sony.

No mundo dos games, o PS4 certamente continuará atingindo bons números e é bem possível que a Sony apresente muitas novidades na metade do ano, durante a E3. Até lá, não há grandes expectativas acerca de exclusivos que possam ser lançados para a plataforma.

Apple

Alvo de rumores durante o ano inteiro — há vários anos —, a Apple deve trazer diversas surpresas para o mercado em 2015. Para começar, ainda no primeiro trimestre os relógios inteligentes Apple Watch devem começar a ser vendidos no mercado norte-americano. Mais tarde, mas ainda no primeiro semestre, o Macbook deve ter grandes renovações, e isso inclui a chegada de um Macbook Air de 12 polegadas.

As mesmas 12 polegadas devem ser vistas nos iPads Pro. O que falta agora é sabermos se este tablet só será mostrado no final do ano ou se a Apple vai realizar um evento exclusivo para ele mais cedo. Quanto aos iPhones, evoluções naturais dos iPhone 6 e 6 Plus devem ser apresentadas no segundo semestre, mas sem grandes alterações no que já temos no mercado.

O mesmo vale para os sistemas operacionais iOS e OS X. A aposta mais sensata é a de que a Apple vai mostrar ainda mais integração entre os dois, mas não há como imaginar grandes renovações visuais. A confirmação disso teremos em junho, quando a empresa norte-americana vai sediar o WWDC.

......

Além dessas previsões, é claro que existe muito mais acontecendo no mundo da tecnologia. As fabricantes de processadores devem continuar brigando para reduzir processos e tornar seus equipamentos cada vez mais rápidos e econômicos. Ao mesmo tempo, devemos ver um avanço bem maior dos smartphones nos mercados emergentes, onde PCs vem perdendo espaço há alguns anos. E você, o que espera dessas grandes empresas para 2015?

Cupons de desconto TecMundo: