Quando você se refere à década de 1990, parece que ela está bem próxima, não é mesmo? Então talvez seja hora de rever a sua percepção do tempo, porque já passamos por 1997 há nada menos que duas décadas.

É isso mesmo: há exatos 20 anos, o técnico Zagallo dizia "Vocês vão ter que me engolir!" quando o Brasil ganhou a Copa América de 1997, a reeleição foi aprovada para cargos executivos no país e princesa Diana morreu em um acidente de carro. Junto com esses fatos, uma série de tecnologias, serviços e programas que utilizamos até hoje (ou ganharam um espaço em nosso coração) surgiam. A seguir, você confere uma lista com os principais destaques da área — seja para ver pela primeira vez, refrescar a memória ou só fazer você se sentir mais velho.

1. DVD players no Ocidente

Sucessores naturais do aparelho reprodutores de VHS, os aparelhos que tocavam DVDs surgiram ainda no final de 1996 no Japão de forma bastante reduzida, mas só começaram a ganhar outros países no ano seguinte.

Assim como outras tecnologias, eles começaram extremamente caros e com sérias restrições de distribuição. O problema aqui? Os estúdios de cinema estavam preocupados com a proteção contra cópia de seus filmes — algo que de fato aconteceu depois, mas que acabou inevitável. Aos poucos, marcas como Toshiba, Sony e Panasonic ganharam o mercado com os players e também as entradas para gravação de DVDs nos computadores.

2. Netflix

Pois é, a Netflix parece extremamente moderna, mas a verdade é que a empresa já existe há algum tempo. Antes de passar para o mundo do streaming, em 2007, a companhia fundada por Reed Hastings e Marc Randolph se especializou em fazer locações de filmes pela internet, posteriormente introduzindo a assinatura mensal para receber os produtos sem sair de casa.

Hastings conta que teve a ideia original depois de ter que pagar US$ 40 de multa a uma videolocadora

Não se sabe se é ou não uma história inventada, mas Hastings conta que teve a ideia original depois de ter que pagar US$ 40 de multa a uma videolocadora só por atrasar a devolução de um longa-metragem.

3. Winamp

Se hoje você usa serviços de streaming pra ouvir seus artistas favoritos e mal se lembra como era a vida antes disso, acredite: nem sempre foi assim. E, entre downloads demorados e configurações de programas, um dos players de música mais famosos entre quem pegou a fase de ouvir arquivos MP3 no PC foi o Winamp.

O programa da Nullsoft se destacou dos demais por uma série de qualidades. Ele tinha um visual bem mais moderno, a possibilidade de instalar skins e plugins facilmente (o que deixava o software totalmente personalizado à experiência do usuário) e um bom controle de playlists. O Winamp levou algum tempo para ganhar fama e expandir, até porque a primeira versão era tão minimalista que não tinha nem janela: era só uma barra com um simples menu de reprodução.

4. WiFi

O ano também foi marcado pelo primeiro grande passo no estabelecimento dessa tecnologia que pode até estar permitindo que você leia este artigo. Criado em 1997, o chamado "IEE 802.11 legacy" foi o primeiro padrão de redes sem fio que definiu os protocolos que seriam usados nessa forma de transmissão de dados. Para estabelecer as regras, o IEEE (Institute of Electrical and Electronic Engineers) determinou que o WiFi operaria entre as frequências de 2,4 GHz e 2,4835 GHz com transmissões de 1 Mb/s a 2 Mb/s.

O padrão original foi quase totalmente modificado

O uso de uma das técnicas estabelecidas diminuía um pouco a velocidade dos dados transportados, mas permitia transmissões de múltiplos canais e reduzia a interferência e a perda de informações. Dois anos depois, o setor passou a ser comandado pela Wireless Ethernet Compatibility Alliance (WECA), agora chamada de Wi-Fi Alliance. A área de cobertura cresceu e o padrão original foi quase totalmente modificado, mas ajudou a fundamentar uma das tecnologias mais essenciais da atualidade.

5. CD-RW

Que atire a primeira pedra quem viveu a década de 1990 e nunca gravou um CD pelo computador! Os discos compactos regraváveis (CD-RW) revolucionaram o mundo na época por permitirem a gravação de arquivos sem parar, apenas exigindo que você apagasse o conteúdo anterior primeiro. O segredo desses modelos estava na composição da superfície do disco. Ele era feito de um material capaz de alterar a própria forma pela aplicação de calor. Assim, quando há o contato com o laser de gravação, é possível regravar dados na mídia.

Essa tecnologia popularizou o compartilhamento de conteúdo entre pessoas e ainda fez surgirem novos e mais poderosos leitores nos PCs. Cada CD regravável podia ter dados sobrepostos mais ou menos mil vezes.

6. Nero Burning ROM 1

E você normalmente usava algum software para fazer essas gravações, certo? O Nero Burning ROM 1, ou simplesmente Nero, virou sinônimo de programa para "queimar" (copiar algum conteúdo) para CDs e, posteriormente, DVDs. Ele não foi o primeiro do ramo, mas com certeza foi o mais famoso.

A interface era bem simplificada até para a época e vários procedimentos diferentes eram suportados, tornando-o um programa ideal até para quem não tinha grande experiência com o PC. E tem outra: caso você ainda não tenha feito a ligação, ele foi nomeado em homenagem ao imperador romano responsável por colocar fogo em Roma.

7. Babel Fish

O tradutor do Google hoje é referência, mas o papel de transformar textos de um idioma para o outro já coube majoritariamente ao serviço Babel Fish. Ele nasceu como parte do AltaVista, outro gigante do passado na internet, e depois foi adquirido pelo Yahoo!. Desde 2012, ele foi substituído completamente pelo Bing, o buscador da Microsoft, mas ainda existe como empresa.

Achou o nome do serviço curioso? É que se trata de uma homenagem ao peixe-babel, um animal do universo da série "O Guia do Mochileiro das Galáxias", de Douglas Adams. Na obra, ele é usado por humanos e aliens para servir justamente como um "tradutor universal".

8. Pentium II

E aí, você chegou a usar um processador Pentium II no seu computador? Ela foi a sexta geração da Intel pra chips, na época baseada na arquitetura antecessora Pentium Pro, ou P6. Atingindo clocks de até 450 MHz, esse modelo trouxe novidades na composição para eliminar alguns componentes não tão importantes e adicionar novas tecnologias.

A nova placa de circuito integrou o processador e o cache L2, garantindo um método de produção mais barato sem perder em desempenho. O chip ainda era capaz de ler instruções de 16 bits e 32 bits na mesma velocidade, sendo ideal tanto para sistemas novos — o Windows 98 era o líder da época — quanto para versões mais antigas. A clássica linha de processadores Celeron foi inicialmente lançada com base na Pentium II.

9. Yahoo! Mail

Essa é especialmente simbólica, já que o Yahoo! dificilmente continuará existindo na forma como o conhecemos depois de 2017. O serviço de emails Yahoo! Mail já chegou a ser o terceiro mais acessado do mundo (segundo dados da Comscore) em 2011, com 281 milhões de usuários atuantes. Bastante espaço de armazenamento e organização foram as chaves do serviço por muito tempo.

O Yahoo! Mail manteve a identidade visual clássica por vários anos

Nascido a partir do cliente Rocketmail, o Yahoo! Mail manteve a identidade visual clássica por vários anos, agradando quem já era fiel à marca. Infelizmente, brechas de segurança, a presença massiva de publicidade e poucas mudanças para incomodar as concorrentes fizeram o domínio perder credibilidade e ficar para trás.

10. Symbian

O mercado dominado hoje por Android e iOS já teve um líder incontestável feito pela Nokia. É o Symbian, um sistema operacional móvel que foi utilizado em aparelhos das mais diversas fabricantes em uma era ainda jurássica dos smartphones.

No auge em 2006, o Symbian chegou a estar presente em 67% dos smartphones vendidos em todo o mundo e era bastante elogiado por interface e processamento. Só que logo ele ficou ultrapassado, com graves falhas de segurança e muita fragmentação, o que gerava incompatibilidades entre apps.

Cupons de desconto TecMundo: