YouTube atualiza regras para a monetização de conteúdos adultos

1 min de leitura
Imagem de: YouTube atualiza regras para a monetização de conteúdos adultos
Imagem: Unsplash

O YouTube anunciou na última quinta-feira (16) importantes mudanças nas diretrizes de materiais adequados para anunciantes afetando conteúdos adultos. Com a atualização, vídeos como os que mostram nudez durante a amamentação e danças não sexuais agora se tornam elegíveis para a monetização.

A alteração vale para conteúdos como aqueles em que uma mulher ensina a usar a bomba para tirar leite, com os mamilos visíveis e um bebê é mostrado na cena, por exemplo. Anteriormente, esse conteúdo só monetizava se a aréola não aparecesse na gravação.

Os vídeos de amamentação com mamilos descobertos agora são elegíveis à monetização do YouTube.Os vídeos de amamentação com mamilos descobertos agora são elegíveis à monetização do YouTube.Fonte:  Getty Images/Reprodução 

De acordo com as novas políticas, os vídeos sobre amamentação no YouTube precisam incluir referências contextuais ao processo para se tornarem elegíveis ao programa de monetização, como um bebê se preparando para amamentar ou a lactação ativa. Os conteúdos que não mostram crianças continuarão sem a geração de receitas.

A atualização foi baseada nos comentários dos usuários, nos quais esse tipo de material é citado como de grande utilidade para os pais de primeira viagem, principalmente, segundo o YouTube. Dessa forma, a plataforma do Google decidiu valorizar os criadores, permitindo a eles obter renda com a visualização das suas produções.

Vídeos com danças no YouTube

Já em relação aos vídeos que mostram danças, a remoção das restrições abrange alguns tipos de movimentos que aparecem nas gravações, como o rebolado. Dessa forma, tais conteúdos passaram a ser monetizados no YouTube, ganhando a capacidade de exibir anúncios durante a reprodução.

Porém, o Google disse que continuará a deixar de fora do programa os vídeos de dança com cenas deliberadas e recorrentes de genitálias, seios ou bumbum. O mesmo vale para os conteúdos que trazem movimentos simulando atos sexuais e aqueles nos quais são exibidas roupas extremamente curtas.

Apesar de afrouxar as regras para os casos citados, o YouTube ressaltou que os vídeos precisam obedecer às demais diretrizes da comunidade, para a publicação, e às normas sobre a qualificação para a exibição de anúncios publicitários e geração de receitas. Todas as mudanças podem ser conferidas na página de suporte da plataforma.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.