Apple barra atualização do Facebook que cita taxa de 30% no iOS

1 min de leitura
Imagem de: Apple barra atualização do Facebook que cita taxa de 30% no iOS
Avatar do autor

O Facebook teve uma atualização no aplicativo da rede social para iOS rejeitada pela Apple. O motivo? Segundo a denúncia da empresa, feita à agência de notícias Reuters, o conteúdo incluía um aviso ao usuário de que a Maçã abocanha uma fatia de 30% sobre todas as microtransações feitas dentro da ferramenta.

Como resposta, a Apple citou uma regra que impede desenvolvedores de mostrar "informações irrelevantes" ao usuário. O recado estava posicionado dentro de uma função do Facebook que permite a compra de ingressos para eventos variados pelo aplicativo.

O Facebook alega que tentou conversar com a Apple para reduzir ou zerar a taxa, ou então direcionar os 30% para os organizadores dos eventos em questão. A Apple recusou a solicitação e o recurso foi ao ar com o "imposto" cobrado normalmente. Ainda de acordo com a Reuters, a mensagem "O Facebook não pega uma taxa da compra" também não foi encontrada na Google Play Store, mas o Facebook não pareceu reclamar.

Revolução?

O Facebook está longe de ser a primeira empresa a reclamar de alguma forma sobre a taxa de 30% cobrada pela Apple (e pela Google) em microtransações feitas no sistema operacional móvel, caso o app tenha sido baixado pela loja oficial — que é a única alternativa no caso do iOS.

O caso mais famoso é a disputa com a Epic Games, que criou toda uma campanha de marketing sobre a denúncia, processou as gigantes e teve o jogo Fortnite banido da loja da Maçã, que avisou que não abrirá exceções. A Microsoft, por outro lado, posicionou-se a favor da desenvolvedora no caso.

Fontes

Apple barra atualização do Facebook que cita taxa de 30% no iOS