Google Meet ganha função que evita invasões de aulas online

1 min de leitura
Imagem de: Google Meet ganha função que evita invasões de aulas online
Imagem: Google Meet
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O serviço de videoconferências Google Meet, que foi remodelado durante a pandemia do novo coronavírus para atender a nova demanda, recebeu uma nova atualização que foca em segurança.

A partir desta semana, quem tem uma licença G Suite for Education ou G Suite Enterprise for Education e organizar uma reunião no Google Meet pode permitir a entrada apenas de participantes logados com uma conta da Google. A novidade pode levar até quinze dias para chegar a todos os usuários.

O objetivo é impedir eventuais invasões de usuários anônimos, que entravam sem permissão em links de aulas à distância para distrair os alunos, propagar discursos de ódio, compartilhar materiais ofensivos em apresentações e, em alguns casos, gravar toda essa ação para compartilhar em redes sociais. Casos parecidos começaram a ser registrados no Zoomem março deste ano, quando surgiu a expressão em inglês para essa prática — zoombombing.

Sem zoeiras

Anônimos que obtiveram o link da aula porque ela foi postada em algum site, por exemplo, ficarão de fora. O recurso estará habilitado por padrão e só pode ser desligado ao entrar em contato direto com o suporte da empresa.

Vale lembrar que a plataforma está gratuita para reuniões até o mês de setembro e tem sido bastante utilizada por instituições de ensino nos últimos meses. Desde junho deste ano, já é possível mostrar uma apresentação de tela e participantes em uma mesma tela.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Google Meet ganha função que evita invasões de aulas online