Já não é mais surpresa que a China esteja implementando sistemas com a função de monitorar a atividade de todos os seus cidadãos. Há algum tempo, a China implementou um sistema de crédito cidadão - conhecido como Crédito Social - baseado na confiabilidade, tal serviço permite sanções aos seus cidadãos com diversas medidas, entre elas, não poder usar trens ou aviões. Além disso, há também uma rede de câmeras equipadas com o maior sistema de reconhecimento facial do mundo, inclusive a polícia utiliza óculos com esse recurso.

Para alguns se trata de espionagem, mas para o governo nada mais é que uma medida para se ter maior controle. O que sabemos é que agora essa tecnologia chega aos metrôs das cidades mais importantes do país: Pequim e Xangai.

Segundo informações, até o fim do ano Pequim vai introduzir um sistema de rastreamento biométrico conhecido como “bio-ID”, que consistem em milhares de câmeras em toda extensão das estações de metrô, assim como em seus vagões. Além de um sistema de reconhecimento facial e scanner para a palma das mãos, para que os usuários não precisassem mais comprar ingressos, já que tudo seria automático. Para o governo a ferramenta irá aumentar a eficiência e reduzir os gargalos nas principais estações durante o horário de pico.

Vale dizer que, em Xangai, scanners portáteis têm sido utilizados desde o ano passado em algumas estações de metrô, e agora pretende incorporar o sistema de câmera com reconhecimento facial. De acordo com os responsáveis ??pelo sistema, os scanners são capazes de capturar a palma de uma mão e compará-lo com um enorme banco de dados em segundos.

Para o governo chinês a ferramenta irá aumentar a eficiência e reduzir os gargalos nas principais estações durante o horário de pico. Embora muitas pessoas estejam preocupadas com esse tipo de monitoramento, que para muitos, parece ser o nascimento de um grande sistema de vigilância.