A China possui um sistema de vigilância de massa robusta, com a última tecnologia em reconhecimento facial. De acordo com o Bloomberg, o governo chinês agora está usando esse sistema para monitorar a presença de minorias étnicas em Xinkiang, uma região com grande presença de muçulmanos no país.

Segundo a fonte, as ferramentas de reconhecimento facil estão usando geofencing (cerca virtual em uma área geográfica) para alertar as autoridades quando "alvos selecionados" ficam 300 metros próximos de uma "zona segura". No caso, a China está realizando o movimento para conter possíveis "ataques terroristas".

A China conta com mais de 170 milhões de câmeras CCTV pelo país

O sistema de câmeras busca, entre a população, rostos semelhantes aos presentes na lista de suspeitos do governo local. Para isso, a China coleta dados biométricos de cidadãos entre 12 e 65 anos.

O pessoal da Human Rights Watch alertou que a medida é uma violação das normas internacionais de direitos humanos. Além de vigiar a presença de muçulmanos em Xinkiang, a China é cobrada por restringir a liberdade religiosa — muitos cidadãos que não seguem as religiões aceitas pelo regime chinês não podem nem viajar para outros locais do país.

Atualmente, a China conta com mais de 170 milhões de câmeras CCTV pelo país, e ainda pretende aumentar esse número para 400 milhões durante os próximos três anos.

Cupons de desconto TecMundo: