O rumor sobre relógios inteligentes da Google não é novo e, ultimamente, não é apenas um rumor: com o Android Wear, a gigante oficializou a sua participação ativa no mercado de smartwatches.

Sem muitas novidades ou mesmo pronunciamentos da Apple neste segmento, a Google está cada vez mais se consolidando como líder neste mercado. Gadgets que rodam versões experimentais do Android já foram lançados, como o Galaxy Gear, e agora, com o Android Wear, vai ficar cada vez mais fácil usar o seu relógio de maneira inteligente.

Porém, a pergunta que ainda fica no ar é: qual é o futuro deste mercado? Por enquanto, os relógios inteligentes ainda se mostram bem limitados quando não estão pareados com um smartphone e isso é um problema para quem não quer apenas um controle remoto para o celular. O que a Google pode oferecer no futuro para mudar isso?

Android Wear

Com um visual completamente baseado no Google Now, este sistema começa a mostrar mais independência do celular e é uma grande sacada da Gigante de buscas. Ele ainda é conectado ao smartphone, mostrando notificações de mensagens e redes sociais, porém tem mais autonomia com os cards e serviços adicionais de agenda e clima, por exemplo.

É claro, a ideia é mesmo ter todos os seus dispositivos sincronizados e funcionando juntos, e isso o Android Wear promete fazer com maestria. Os aparelhos que vão rodar este sistema podem ter qualquer formato de tela, já que ele foi apresentado tanto em uma versão quadrada quanto na tradicional forma redonda dos relógios de pulso.

Ao que tudo indica, o Android Wear vai ser o seu próprio chip, podendo acessar a internet a qualquer momento sem precisar estar conectado ao celular por Bluetooth para isso. Esses avanços já chamaram a atenção de várias marcas, como a Motorola e a LG, o que significa que é bem possível vermos aparelhos rodando este sistema operacional ainda este ano.

Moto 360 e G Watch

Esses são, possivelmente, os nomes dos primeiros relógios que vão rodar o Android Wear, ainda em 2014. O primeiro, da Motorola, tem o formato redondo, mais próximo do que foi apresentado no vídeo do sistema da Google. Já o G Watch, da LG, continua usando a tela quadrada, como foi visto nos smartwatches lançados até agora.

Moto 360 e LG G Watch (Fonte da imagem: Divulgação)

Apesar de previstos para a segunda metade de 2014, no entanto, não existem muitos detalhes vazados sobre os aparelhos, para que seja possível dizer se eles realmente serão revolucionários. O que já está confirmado é que ambos serão controlados por comandos de voz e tela touch e rodarão o sistema da Google.

Mudanças mais profundas no futuro

O que mais chama a atenção dos entusiastas para o mercado de smartwatches, no entanto, ainda é uma promessa para o futuro: a possibilidade de sincronizar não apenas os seus gadgets pessoais, mas toda a sua vida. Aparelhos domésticos, computadores, celulares, óculos e, é claro, os relógios podem “conversar” entre si no futuro e tornar qualquer ambiente mais inteligente.

Uma casa inteligente é a nossa noção de futuro: um local no qual você precise colocar o mínimo de esforço para que tudo funcione. Acontece que a Google pode ser uma das grandes responsáveis para que isso de fato ocorra em um futuro próximo, e a resposta para isso pode estar em uma das recentes aquisições da gigante, a Nest.

Termostato da Nest (Fonte da imagem: Divulgação)

Essa pequena empresa foi adquirida por mais de 3 bilhões de dólares pela Google, um valor tão alto que deixou margem para várias especulações. A Nest fabrica dois produtos, por enquanto: um termostato inteligente e um alarme de incêndio diferenciado. São dois itens simples e relativamente baratos, mas que podem ser a entrada da Google na sua casa.

Controlando tudo de maneira remota

O que um termostato e um detector de fumaça têm a ver com os relógios inteligentes? Para responder isso, é preciso pensar um pouco além desses três produtos. Os planos da Google com a compra da Nest e até da Boston Dynamics não foram claramente divulgados, mas eles apontam para uma direção: a integração da sua vida.

(Fonte da imagem: Reprodução/BGR)

Isso não significa apenas fazer os seus eletrodomésticos funcionarem usando o seu relógio como controle remoto: o Google Now é um sistema inteligente que pode fazer com que os seus aparelhos domésticos funcionem sem que você precise pedir. Tudo de maneira automática usando os dados coletados sobre a sua rotina, por exemplo.

Imagine acordar de manhã e ter uma caneca de café quente esperando na cozinha, abrir o seu carro e já ter um relatório completo sobre o trânsito no GPS, entrar no escritório e o seu computador já estar ligado, entre outras ações simples. Sem que você precise pedir ou configurar isso, o Android Wear usa o seu relógio como um controle inteligente.

O futuro dos smartwatches

(Fonte da imagem: Reprodução/Qualcomm)

As vantagens de usar um relógio para fazer isso — e não apenas o celular — são sutis, mas muito importantes. Primeiramente, a bateria de um relógio (mesmo um smartwatch) dura bem mais do que a do celular. Em segundo lugar, por ser um dispositivo que você veste, o relógio está com você o tempo inteiro, em qualquer lugar, e pode acompanhar com mais facilidade a sua rotina.

Isso faz com que seja bem mais fácil para o Google Now acompanhar a sua rotina e prever as suas necessidades usando um sistema que funciona 100% em favor disso. Isto é, apesar de ser ótimo usar os cards inteligentes no telefone, é possível que a separação de funções entre o celular e o relógio torne os dois aparelhos mais focados no que eles fazem de melhor.

Cupons de desconto TecMundo: