Google reforça uso do gerenciador de contas inativas para segurança

1 min de leitura
Imagem de: Google reforça uso do gerenciador de contas inativas para segurança
Imagem: Divulgação/Google
Avatar do autor

Nesta terça-feira (5), o Google publicou em seu blog de segurança a importância do gerenciador de contas inativas para monitoramento e reforço de segurança de perfis que não são mais usados.

Além de um breve guia de uso da ferramenta, a empresa ressalta que o ataque recente de ransomware à Colonial Pipeline foi realizado através de uma conta antiga que não utilizava a autenticação de vários fatores e que o ataque cibernético à T-Mobile também afetou contas inativas pré-pagas, então simplesmente ignorar cadastros obsoletos pode ser um risco de segurança.

Gerenciador de contas inativas

Através desta ferramenta, é possível definir quando o Google começará a identificar a conta cadastrada como inativa e explicar o que deve ser feito com as informações; ela pode ser acessada através deste link ou nas configurações de conta no submenu "Dados e privacidade".

Atalho para a ferramenta na página do GmailAtalho para a ferramenta na página do GmailFonte:  Reprodução/Tadeu Mattos 

Após decidir utilizar esta opção, o Google exigirá três configurações. Primeiramente, o usuário escolhe um período de tempo de inatividade para que a medida de segurança tenha efeito. É possível definir 3, 6, 12 ou 18 meses.

O Google está divulgando a ferramenta para comemorar o mês de conscientização sobre a importância da cibersegurançaO Google está divulgando a ferramenta para comemorar o mês de conscientização sobre a importância da cibersegurançaFonte:  Reprodução/Tadeu Mattos 

Logo depois, será necessário informar quem será notificado caso sua conta fique inativa; é possível escolher até 10 pessoas e permitir que tenham acesso a alguns dados. Se o interessado usa Gmail, uma resposta automática pode ser escrita para informar contatos de que ele não é mais usado.

Por fim, o usuário designa se a conta inativa deve ser deletada. Um conhecido de confiança que tenha sido citado para conseguir as informações poderá acessá-las por até três meses antes da exclusão — que acontece três meses depois da data instruída no primeiro passo.

Mais iniciativas

A empresa também reforçou seus planos de implementação da autenticação de dois fatores por padrão: a ferramenta será aplicada em 150 milhões de usuários de contas Google e em 2 milhões de criadores do YouTube até o final de 2021.

Para mais detalhes de proteção, a companhia oferece uma central de segurança com instruções e dicas.