Avast vai encerrar subsidiária que vendia dados dos usuários

1 min de leitura
Imagem de: Avast vai encerrar subsidiária que vendia dados dos usuários
Avatar do autor

De acordo com uma investigação conjunta entre os sites Motherboard e PCMag, a empresa Jumpshot, subsidiária da Avast, vendia os dados dos usuários a algumas das maiores empresas do mundo, incluindo a Expedia, Intuit e Keurig. A própria Jumpshot admitiu aos clientes que um de seus produtos, o All Clicks Feed, podia rastrear todos os cliques feitos pelos usuários em uma infinidade de sites populares, e com extrema precisão. Poucos dias após os sites publicarem suas reportagens, a Avast anuncia que está encerrando a Jumpshot.

A Avast coletava os dados e os repassava

A Avast estava vendendo inúmeras informações confidenciais de seus usuários, como pesquisas feitas no Google, consultas de endereços no Google Maps, e até atividades em sites como o LinkedIn e YouTube. A coleta dos dados era feita a partir do seu software antivírus. Depois, os dados eram repassados e comercializados por meio da Jumpshot.

A Avast deixava claro aos usuários que o compartilhamento de dados era necessário, porém jamais mencionou que eles seriam vendidos.

Fonte: Pixabay/Reprodução

Pisando na bola

Em sua defesa, a Avast divulgou nota à imprensa, como se não soubesse das operações da Jumpshot.

"A principal missão da Avast é manter seus usuários seguros online e dar aos usuários controle sobre sua privacidade", disse Ondrej Vlcek, CEO da Avast.

Vlcek ainda completou, dizendo: "A conclusão é que qualquer prática que comprometa a confiança do usuário é inaceitável para a Avast. Estamos vigilantes com a privacidade de nossos usuários e tomamos medidas rápidas para começar a encerrar as operações do Jumpshot depois que ficou evidente que alguns usuários questionaram o alinhamento do fornecimento de dados feitos por ela com nossa missão e princípios que nos definem como empresa".

Apesar das declarações do CEO da companhia, a Mozilla já havia retirado duas extensões da Avast da loja do Firefox, em dezembro do ano passado, por considerar que elas coletavam mais dados dos usuários do que o necessário.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Avast vai encerrar subsidiária que vendia dados dos usuários