Qualquer pessoa desavisada olha para o nome Salão Internacional do Automóvel de São Paulo e pensa que o evento se trata de... Bem, automóveis, certo? É claro que não está errado; porém, se tem algo que a edição 2016 do evento mostrou, é que definitivamente não vamos mais conseguir separar os carros da tecnologia – e não estamos falando da central multimídia ou do downsizing: estamos falando de tecnologias que foram usadas pelas montadoras para mostrar seus carros e atrair as pessoas para seus estandes.

Experiências envolvendo realidade virtual, aumentada e simuladores com jogos de corrida foram as escolhas das marcas para ir além da simples exibição de seus modelos e fazer com que as tecnologias que antes eram restritas aos entusiastas do assunto também sejam usadas como ferramentas para chamar a atenção e gerar o interesse em pessoas comuns que só querem comprar um carro.

Nós conferimos todas essas experiências e contamos um pouquinho de como a indústria automobilística está trabalhando com seus novos “brinquedinhos” para te ganhar.

Ford

A Ford nem precisava de amenidades para fazer seu estande ser mais incrível, mas, mesmo assim, a montadora fez uma ação bem interessante: alguns visitantes ganhavam pulseiras que acumulavam pontos por cada interação feita. Esses pontos podiam ser trocados por brindes lá mesmo.

Entre elas, e as mais interessantes, estava um posto da nova Ranger: nele, quatro pessoas tinham que coletar ícones espalhados por um monte de areia que era modificado graças a um projetor interativo e que adaptava a imagem de acordo com a forma como a areia era movimentada: quanto mais alto o “morrinho” de areia, mais ele se parecia com uma montanha, e quanto menos areia, mais o projetor simulava a criação de um lago.

Das montadoras que adotaram recursos tecnológicos, a Ford foi a única que não usou VR – mas isso não foi necessariamente ruim, já que os caras conseguiram pôr as mãos em uma edição antecipada do Gran Turismo Sport e colocaram o game em simuladores para o pessoal jogar com um dos carros presentes no evento, o Mustang GT.

Finalizando, os visitantes podiam entrar em um Ford Fusion Hybrid para uma experiência visual com um painel de 360 graus que demonstrava como funcionavam os principais elementos de segurança e o sistema de direção semiautônomo do modelo.

Renault

A Renault levou uma única experiência VR, mas a fez valer. Com a ajuda da equipe da HOVR e da Loox VR e utilizando uma estrutura com um HTC Vive, a montadora francesa conseguiu transportar os visitantes para um box virtual da equipe Renault Sport de Fórmula 1, com direito ao R.S. 16 virtual e tudo mais.

Lá dentro, você podia explorar livremente o local enquanto um pequeno robô, chamado RN16, que explicou um pouco da história da Renault na categoria, das tecnologias dos carros de Fórmula 1 e como elas influenciam no desenvolvimento dos carros de rua, especificamente os novos motores que equipam o Sandero e outros carros da marca.

A representação virtual desses motores, inclusive, era “explodida” em detalhes para que você conseguisse ver cada componente funcionando.

Toyota

A nipônica Toyota resolveu colocar alguns de seus visitantes no lugar dos famigerados “crash dummies”, aqueles bonecos que são utilizados em testes de colisão feitos por aí.

Com a ajuda da realidade virtual, as pessoas eram convidadas a entrar em um Corolla que estava sob uma plataforma, vestir os óculos e ter a sensação de simulação de impacto, que era replicado também graças a um breve movimento do veículo.

Volkswagen

Com o maior espaço entre todas as empresas presentes no Salão, a Volkswagen decidiu não economizar na tecnologia para oferecer experiências diferenciadas de realidade virtual e aumentada em seu estande. Prova disso é que, por lá, eles utilizaram cada um dos principais dispositivos atuais de VR e AR, incluindo os smartphones no Samsung Gear VR, os PCs com o Oculus Rift e o HTC Vive, a novidade do Microsoft HoloLens e efeitos 4D interessantes.

A primeira dessas atividades que pudemos experimentar foi o Desafio Cross, que combinava os sensores do movimento do aparelho da HTC com ventiladores para nos dar a sensação de que estávamos andando sobre uma estreita passarela acima de um cenário similar ao Grand Canyon. O objetivo aqui era recuperar a chave de uma Saveiro Cross roubada por um falcão – sem deixar de apreciar o ambiente imersivo, é claro.

Na sequência, pudemos conferir o conteúdo TSI Xtreme, que sem dúvida foi um dos mais interessantes, por misturar o poder do Oculus Rift a uma esfera de simulação de movimentos capaz de reproduzir a força G. O resultado foi um passeio que realmente nos dava a impressão de que havíamos sido encolhidos e levados para um tour por dentro de um dos motores da marca, conhecendo um pouco sobre suas tecnologias.

Sem pausa, fomos levados para a experiência #VWeVc: um passeio por dentro de uma linha de montagem da fabricante com o Gear VR da Samsung. Com o veículo pronto, vimos como é por dentro da gigantesca garagem Autostadt da Volks, que fica na Alemanha. Por fim, o carro na experiência virtual nos leva para uma sorveteria que, por meio de um truque de parede falsa no ambiente, foi “transformada” em realidade no estande.

Por fim, também estivemos no espaço VIP da Volkswagen no evento, onde visitantes com acesso mais exclusivo poderiam utilizar os recursos de realidade aumentada do HoloLens para ver projeções holográficas ao redor de uma miniatura real de um up! TSI. Focando a visão em pontos específicos da interface projetada, o software dos óculos mostrava componentes do carro com destaque para explicar seu funcionamento em detalhes.

Por Igor Napol e Leonardo Rocha.

Cupons de desconto TecMundo: