'Detento TikToker' usa rede social para mostrar rotina na prisão

1 min de leitura
Imagem de: 'Detento TikToker' usa rede social para mostrar rotina na prisão
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

Nesta terça-feira (3), um detento da penitenciária Dalton Crespo, de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, foi transferido para um presídio de segurança máxima após ter compartilhado sua rotina na penitenciária em uma rede social. O perfil do "detento tiktoker" ainda está ativo e já acumula mais de 13 mil seguidores no TikTok.

Dentre os conteúdos compartilhados, o detento postava vídeos de refeições improvisadas, faxinas, uma partida de futebol e outras atividades do local onde estava preso. Ele esteve ativo na rede do dia 7 de outubro até 1° de novembro, onde, além dos posts, interagia com os seguidores, respondendo a comentários e perguntas.

O perfil foi descoberto pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) nesta segunda-feira (1), quando ele postou o vídeo disponível abaixo. Segundo a Seap, foi feita uma revista nas celas para identificar o autor das imagens. Ele foi transferido para a Penitenciária Laércio da Costa Pellegrino (Bangu 1), no Complexo Penitenciário de Gericinó.

@wlfdllinha

? 2021 - MC GUK

Nesse último vídeo, é possível ver um celular carregando ao lado da sanduicheira. Durante a revista nas celas, além do detento “famoso”, que não teve sua identidade revelada, foram encontrados 17 celulares, 13 chips, uma pequena quantidade de drogas e outros objetos não permitidos.

Fora da rotina da prisão

Imagens de vídeos compartilhados pelo detento (Fonte: TikTok/Reprodução)Imagens de vídeos compartilhados pelo detento. (Fonte: TikTok/Reprodução)Fonte:  TikTok 

Além da rotina da prisão, algumas das mídias compartilhadas são de festas e ruas de Macaé, que ele se refere como sua terra natal. Ainda não se sabe se estas são de um período antes do regime de prisão. A Seap disse que está apurando a ocorrência e vai intensificar tanto as ações de repressão quanto punição de quem facilita o acesso dos presos com os aparelhos.