Rede social pró-Trump estreia com ataque hacker e 500 mil usuários

1 min de leitura
Imagem de: Rede social pró-Trump estreia com ataque hacker e 500 mil usuários
Imagem: Business Insider/Reprodução
Avatar do autor

A rede social Gettr, criada por aliados do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, teve várias contas hackeadas nesse domingo (4), data de sua estreia oficial. Os perfis dos usuários verificados mais populares foram comprometidos, entre os quais os pertencentes ao fundador da plataforma, Jason Muller, e ao ex-secretário de Estado Mike Pompeo.

De acordo com o Business Insider, todas as contas afetadas passaram a exibir a mensagem “@JubaBaghdad esteve aqui :) ^^ free palestine ^^” ou "@JubaBaghdad esteve aqui :) siga-me no twitter" (veja abaixo). As modificações ficaram no ar por pouco mais de uma hora, quando o serviço foi restabelecido.

Segundo a publicação, o usuário @JubaBaghdad assumiu a responsabilidade pelo ataque cibernético, dizendo ter sido “fácil” invadir as contas. “Eles não devem publicar o site antes de se certificar de que tudo, ou pelo menos quase tudo, está seguro”, afirmou.

Antigo conselheiro de Trump, Muller disse que o problema foi corrigido pouco tempo após o ataque ter sido detectado, afirmando que o invasor conseguiu apenas “alterar alguns nomes de usuários”. Um dia antes, a plataforma havia enfrentado outro problema, sendo inundada por mensagens e GIFs contendo pornografia.

Trump x redes sociais

Disponível desde junho nas lojas de apps, mas lançado oficialmente apenas agora, o Gettr tem características semelhantes ao Twitter, se apresentando como uma “rede social não tendenciosa para pessoas de todo o mundo”. A ideia surgiu após o ex-mandatário americano enfrentar problemas online.

Banido permanentemente do Twitter após a invasão ao Capitólio, em janeiro, Trump também não pode usar o Facebook até 2023, pelo menos, pois está suspenso da plataforma. Já no YouTube, a sua conta permanece proibida de ser usada, não tendo previsão de liberação.

A nova rede social já possui mais de 500 mil inscritos, segundo o seu fundador, e tem a presença de vários famosos apoiadores de Trump. No entanto, o ex-presidente americano ainda não criou a sua conta no serviço.

Rede social pró-Trump estreia com ataque hacker e 500 mil usuários