Índia pede a redes sociais que deletem menções à variante da covid-19

1 min de leitura
Imagem de: Índia pede a redes sociais que deletem menções à variante da covid-19
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

O governo da Índia pediu formalmente às principais plataformas de rede social do mercado que apaguem conteúdos que chamem a mais recente cepa do coronavírus de "variante indiana".

Segundo a agência de notícias Reuters, a carta foi enviada na última sexta-feira (21) e solicita a remoção imediata de conteúdos que se refiram à cepa B.1.617 como "variante indiana".

De acordo com as autoridades locais, a classificação oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) nunca se referiu ao vírus com esse nome, chamando ele apenas de B.1.617 e sem relacioná-lo à região. Além disso, a ligação entre a cepa e o local de origem poderia "gerar erros de comunicação e ferir a imagem do país".

E agora?

A B.1.617 foi encontrada pela primeira vez na Índia ainda em outubro de 2020 e possivelmente foi responsável pelo último surto de covid-19 no país, agora em abril de 2021. Ela também já foi registrada no Brasil, a partir de um caso no Maranhão confirmado em maio deste ano.

As demais variantes também foram batizadas em relação ao país de origem — incluindo uma "variante brasileira", a P.1.

Até agora, nenhuma rede social se manifestou a respeito do pedido do governo indiano.

Fontes

Índia pede a redes sociais que deletem menções à variante da covid-19