O Twitter é a mais nova rede social a declarar guerra contra os movimentos antivacinação, cada vez maiores dentro e fora da internet. O mais recente recurso de segurança da empresa já está no ar e, a partir de agora, quem procurar por assuntos que tenham relação com o tema receberá como primeiro resultado no site ou aplicativo uma aba especial com informações de fontes confiáveis — no caso do Brasil, o Ministério da Saúde.

Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Coreia do Sul, Indonésia, Singapura, Japão e outros países da América Latina também começaram a campanha. Você pode testar a novidade ao clicar neste link.

Fonte: Reprodução/Twitter

O quadro aparecerá se você procurar por "antivacinação", "vacina", "vacinação" e até expressões compostas, como "vacinar filhos". O Twitter redireciona o acesso tanto ao site do ministério quanto ao perfil da instituição na própria rede social, que tem postado conteúdos que defendem a imunização de crianças de todas as idades.

Vale lembrar que o Instagram recentemente passou a banir hashtags antivacinação e o Facebook começou a restringir o alcance de postagens dessa campanha. O Twitter já não permite há algum tempo posts patrocinados e anúncios gerais que defendam a ausência de imunização em crianças.