Logo após Mark Zuckerberg assumir publicamente que o Facebook e ele mesmo erraram ao permitir que o escândalo da Cambridge Analytica acontecesse, a rede social publicou um comunicado oficial sobre o tema e detalhou as atitudes que vai tomar para evitar que empresas e apps coletem dados de usuários em excesso.

Empresa estava usando essas informações coletadas em 2013 para fomentar a campanha presidencial de Donald Trump

Caso você não tenha acompanhado a história desse escândalo, a empresa de análise de dados Cambridge Analytica foi denunciada por periódicos norte-americanos por estar utilizando dados pessoais de 50 milhões de usuários do Facebook de forma indevida. A empresa havia obtido essas informações através do desenvolvedor de um app que fazia um quiz na rede social, o qual não apenas coletava uma grande quantidade de dados sobre a pessoa que realizada o teste, mas também sobre seus amigos sem autorização. De acordo com The Guardian e The New York Times, a empresa estava usando essas informações coletadas em 2013 para fomentar a campanha presidencial de Donald Trump, que acabou vencendo o pleito e hoje é presidente dos EUA. Você pode saber mais sobre o assunto aqui ou aqui.

Em função disso, o Facebook se comprometeu em agir em seis frentes a fim de melhorar a privacidade dos usuários da plataforma. Por exemplo, desenvolvedores de apps terão acesso a menos dados de usuários a partir de agora, e o programa de caça de bugs por recompensa será expandido. Confira o detalhamento oficial do Facebook sobre ações de segurança que a empresa pretende tomar nas próximas semanas.

  1. Revisão da plataforma

O Facebook vai investigar todos os apps que tiveram acesso a grandes quantidades de informações antes da mudança feita em 2014 para reduzir o acesso a dados, e fará uma auditoria completa sobre qualquer app de atividade suspeita. Se forem encontrados desenvolvedores que fizeram mau uso de informação pessoal identificável, eles serão banidos da nossa plataforma.

  1. Informar as pessoas sobre o uso indevido de dados

O Facebook vai informar as pessoas que foram afetadas por apps que fizeram mau uso de seus dados. Será desenvolvido um mecanismo para que as pessoas saibam se seus dados podem ter sido acessados pelo app “thisisyourdigitallife”. Adiante, caso outros apps forem banidos por uso indevido de dados, todas as pessoas afetadas serão informadas.

  1. Desligamento de apps sem uso

Se alguém não usar um app por três meses, o acesso desse app aos dados da pessoa no Facebook será cortado.

  1. Restrição de dados do Facebook Login

O Facebook Login está sendo modificado a fim de reduzir os dados que um app pode pedir para login a partir do Facebook sem uma revisão prévia. Nesses casos, apenas nome, foto de perfil e endereço de email serão fornecidos. Se o app quiser acesso a qualquer outro dado, isso exigirá uma aprovação com assinatura de um contrato.

  1. Incentivar as pessoas a gerenciar os apps que usam

O Facebook já mostra às pessoas os apps conectados à sua conta e o controle sobre os dados que elas consentiram aos apps. Adiante, a rede social vai deixar essas escolhas mais proeminentes e fáceis de gerenciar.

  1. Recompensa a quem identificar vulnerabilidades

O Facebook vai expandir seu programa de recompensas para falhas técnicas encontradas por terceiros na plataforma. Com isso, mais pessoas poderão reportar a à empresa se encontrarem mau uso de dados por desenvolvedores de aplicativos

Cupons de desconto TecMundo: