Recapitulando: a Nokia teve a divisão mobile comprada pela Microsoft, que pegou a linha de tablets e smartphones e rebatizou de Microsoft Lumia, deixando o que restou da companhia finlandesa em uma espécie de limbo da indústria. Mas não demorou muito para ela ressurgir das cinzas e fazer um retorno triunfal.

E ele veio na forma do Nokia N1, um tablet de 7,9" que roda Android e é feito totalmente de alumínio. As comparações com o iPhone e o iPad acabam sendo inevitáveis, especialmente por conta do visual, mas a ideia é atingir mercados que preferem dispositivos mais baratos.

Vale lembrar que o acordo com a Microsoft proibia a fabricante de lançar smartphones sob a marca antiga. Porém, aparentemente, o anúncio de tablets está liberado.

Fino e refinado

O grande destaque externo do aparelho está no corpo de alumínio anodizado, que faz com que ele seja bastante leve ao mesmo tempo em que mantém um visual elegante. Ele é feito em uma única peça, o que deve significar que a bateria não é removível. A espessura também é surpreendente, sendo mais fino do que o iPad mini atual.

E a fabricante pegou todos de surpresa: a espera era por um smartphone ou qualquer dispositivo de um segmento totalmente diferente, como um pequeno computador, um roteador ou uma caixa de streaming de conteúdo.

Especificações técnicas

  • Sistema operacional: Android Lollipop (5.0) com Nokia Z Launcher
  • Tela: IPS de 7,9" com Gorilla Glass 3 (2048x1536 pixels)
  • Processador: Intel Atom Z3580 quad-core de 2,3 GHz 
  • GPU: PowerVR G6430 de 533 MHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB
  • Conectividade: entrada de áudio, micro USB 2.0, WiFi 802.11a/b/g/n/ac, Bluetooth 4.0
  • Câmera: 8 MP com autofoco (traseira) e 5 MP (frontal)
  • Bateria: 5.300 mAh
  • Medidas: 20x13,8x6,9 cm
  • Peso: 318 g

O N1 já acompanhará o Android Lollipop (5.0) e como interface, o Nokia Z1 Launcher, que tem um sistema de pesquisa aprimorado e "se adapta a onde você está e ao que está fazendo" para garantir uma melhor experiência ao usuário. Uma dessas funções é a busca feita na lista de apps instalados apenas ao desenhar com o dedo uma letra na tela.

Além disso, ele será um dos primeiros dispositivos de todo o mercado a contar com um cabo USB reversível — ou seja, não importa de qual lado o conector estiver na hora do encaixe, porque a ligação sempre acontecerá. Só não se sabe se ele será o primeiro no mercado com o tal USB "Type C", já que durante a CES 2015 outros modelos com esse recurso provavelmente aparecerão.

Disponibilidade

O Nokia N1 será disponibilizado em duas cores, Natural Aluminum e Lava Gray, e vendido por US$ 249 (aproximadamente R$ 650, sem contar taxas e impostos). Mercados como China (em fevereiro de 2015), Rússia e outros países europeus (sem data definida) receberão o dispositivo primeiro.

Por enquanto, não há qualquer informação sobre o lançamento do aparelho no Brasil ou nos Estados Unidos. Caso a Nokia tenha boa memória e leve em conta o sucesso passado da marca por aqui, pode existir alguma possibilidade de o tablet chegar ao país.

Cupons de desconto TecMundo: