Em um computador não muito distante, uma guerra entre players de MP3 acontecia. Muitos pereceram e foram desinstalados em menos de meia hora, outros mais resistentes conseguiram sobreviver e travar batalhas ainda maiores. Não é preciso temer, afinal todos eles querem somente uma coisa: a sua preferência. Portanto, será muito difícil anunciarmos um vencedor de maneira unânime.

Existe uma infinidade de tocadores de MP3 para o sistema operacional Windows. Contudo, podemos dizer que existem aqueles que são os campeões de audiência por parte dos usuários. Por isso, as batalhas que Windows Media Player, Winamp, iTunes e Songbird disputam são bastante acirradas, uma vez que a guerra vai além de simplesmente reproduzir áudio pelo PC, e inclui a transferência destas mesmas faixas para os aparelhos como iPods, Zunes e modelos concorrentes das duas grandes marcas.

Portanto, prepare a poltrona, o mouse e a pipoca – a briga vai começar!





O tradicionalíssimo player da Microsoft acompanha o sistema operacional, o que por um lado é muito bom, já que dispensa o download para primeira instalação. Entretanto, é um dos mais pesados dos nossos concorrentes, pesando quase 25 megabytes. Por isso é melhor rodá-lo desde a instalação do Windows, afinal fazer o download de 24,6 megabytes em alta velocidade não é para qualquer conexão por aí.

A interface do WMP não é das mais personalizáveis uma vez que depende dos skins criados pela Microsoft ou usuários independentes. Porém, se você baixar algum skin que não tenha a chancela da Microsoft está se arriscando a pegar algum tipo de vírus ou malware. Logo, as opções disponibilizadas pela empresa não são lá muito bonitos. Nesta última versão do player foram feitas várias mudanças no que se trata da interface, que ficou mais moderna. Além disso, foi adotada a tecnologia de exibir a capa do álbum que está sendo reproduzido, presente desde o início do iTunes.

Com as recentes evoluções, o Windows Media Player ganhou além de novas formas, recursos mais interessantes como a gravação direta em mídias graváveis como CDs e DVDs.  Além disso, com a explosão dos aparelhos de reprodução de MP3, ter uma ferramenta de sincronização com o dispositivo virou mais do que importante: é quase indispensável! Entretanto, por motivos de marca e direitos autorais, não existe pretensão do Windows Media Player ter alguma conectividade com o iPod e seus congêneres.

Dependendo da quantidade de arquivos em MP3, WMA (Windows Media Audio), WAV e outros formatos de som que você tenha no seu computador, a velocidade do computador pode aumentar ou diminuir. Por isso é bastante recomendável que você mantenha uma biblioteca de músicas muito bem dividida para evitar bagunças e eventuais demoras do seu reprodutor de MP3.  A resposta deste player é normalmente muito boa, já que está completamente integrado ao seu sistema operacional. E no que se trata de reproduzir vídeos, o Windows Media Player é um bom player, já que é capaz de reconhecer uma boa quantidade de formatos.

Entretanto, o Windows Media Player não possui um navegador interno. Esta ausência faz com que você não consiga ter acesso ao conteúdo da web através do seu player. Contudo, você pode ter acesso às lojas virtuais que a Microsoft disponibiliza na sua lista. O site de conteúdo multimídia da Microsoft oferece uma central com músicas a venda e trailers de filmes para serem assistidos gratuitamente.



Com certeza o iTunes é um dos feitos mais audaciosos de Steve Jobs. O primeiro player de mídias integrado a uma loja de músicas virtual – estava feita a revolução. Contudo, comprar músicas avulsas ainda não é um fato consumado para a maioria dos usuários acostumados a baixá-las gratuitamente por vias ilegais. Mas este não é o foco desta disputa. O que está em jogo é a capacidade deste programa de conseguir competir com outros players de MP3 e isto ele faz muito bem.

Boa parte do sucesso do iTunes pode ser creditado à explosão de iPods e iPhones no mercado. E como estamos falando de uma invenção da Apple, a interface não podia ser diferente do que Jobs e sua equipe de desenvolvedores proporcionam em softwares para o Mac OS X. Entretanto, o “jeito Mac de ser” do iTunes pode atrapalhar um pouco os usuários de Windows e outros sistemas operacionais porque a quantidade de memória consumida pelo iTunes acaba por torná-lo o mais lento dos quatro players analisados.

Outro fator que contribui para a lentidão deste programa se deve ao fato de ele ser o vencedor quando o assunto é peso. São 65,57 megabytes de muita maça e interface bonita que fazem o programa ficar mais lento. Porém, o iTunes possui um visual muito bonito e ainda conta com o modo de exibição “Cover Flow” que exibe as capas dos álbuns em uma disposição bastante interessante e cheia de recursos gráficos interessantes. Além disso, o iTunes exibe as músicas em gêneros, artistas e qualquer outro critério que o usuário decida.

O iTunes ainda possui um trunfo bastante útil que é a conversão de músicas para o formato AAC próprio para execução de arquivos de áudio em iPods e iPhones. Entretanto, nem tudo são glórias e maravilhas neste player. Um ponto bastante negativo dele está no fato de ele misturar todas as suas músicas na lista caso você ordene que ele as organize automaticamente além de duplicá-las e demorar a convertê-las ao formato AAC. Contudo, existe um modo de remover músicas duplicadas.

A restrição a navegação pela web também acontece no iTunes. O player da Apple disponibiliza o acesso à iTunes Store apenas. Entretanto, a partir desta loja virtual, é possível baixar conteúdos e aplicativos para iPods e iPhones – de músicas a widgets de previsão do tempo e notícias. Quanto à reprodução de vídeos o iTunes possui uma interface muito boa e ampla que pode ser facilmente ajustada à reprodução de vídeos e filmes da maneira que o usuário preferir.



O Songbird é um player ainda em ascensão. Com uma interface bastante prática e existe uma variedade imensa de “feathers” (penas, no sentido literal em inglês) que você pode instalar no seu Songbird. Pode-se dizer que o Songbird é uma espécie de Firefox dos players de mp3 nos PCs. Você pode fazer o que quiser com o seu player! Desde alterar o sistema de cores até personalizar as listas de músicas (playlists) que você tenha em qualquer site de streaming de músicas.

Além de poder personalizar a interface do seu Songbird, ainda é possível melhorar a sua experiência de uso com complementos e plugins. Assim como o navegador, o player de mp3 permite que você adicione qualquer complemento relacionado ao uso do programa e a suas músicas. O Songbird segue a tendência do Winamp e possui navegador interno, porém este funciona através de abas.

Deste jeito fica fácil encontrar os conteúdos que você deseja. A vantagem de ter um navegador incluso no seu player de mp3 é bastante ampla e inclui o fato de depender apenas de um programa para navegar e ouvir músicas – caso você mantenha suas músicas em uma pasta e não tenha se rendido aos encantos das playlists e seus levíssimos kilobytes.

Um ponto muito interessante do Songbird é a total integração com o site Last.fm. É possível fazer login no serviço através do player e ter acesso às suas músicas, bibliotecas e playlists. Com esta total integração com o ambiente da internet, o Songbird consegue misturar todas as coisas boas que o meio tem a oferecer na sua interface. É possível acessar o SHOUTcast para ouvir programas de rádio e podcasts, ler suas notícias no seu site favorito, navegar em abas, comprar músicas nas “stores” (lojas) virtuais que têm convênio com o programa e outras milhares de coisas. Infelizmente, o Songbird não suporta a execução de vídeos.



Mundialmente conhecido e afamado, o Winamp arrasta legiões de fãs em qualquer lugar que você pergunte. O programa, apesar de ser um dos melhores players de mp3 da atualidade, não conta com uma interface original lá muito bonita. Entretanto, existem as infinitas skins que podem ser facilmente instaladas no seu Winamp para deixá-lo com a sua cara. Porém, o Winamp não possui facilidades como os complementos que o Songbird tem. O mais antigo dos rivais do Windows Media Player possui, sim, plugins, e dos mais variados.

Porém estes plugins estão ligados à interatividade da música com o usuário e outros softwares como o MSN Messenger ou Windows Live Messenger – para exibir qual música está sendo executada; exibição da letra da música através de um plugin desenvolvido por algum site especializado no assunto como o Muita Música e muitas outras funcionalidades.

O navegador deste player é bastante rápido, porém não permite a distribuição em abas. Entretanto ele consegue apresentar bem as funcionalidades de um navegador normal e ao mesmo tempo é um excelente player. Além disso, o recurso de reprodução de vídeos do Winamp é o melhor dentre os programas concorrentes nesta batalha pela sua preferência.

Além de contar com uma excelente variedade de tamanhos de acordo com a sua necessidade, o Winamp ainda otimiza a exibição dos pixels, tornando a imagem muito mais bonita. Mas não se iluda – isto depende muito da qualidade original do vídeo que você está reproduzindo no software. Por ser um software altamente personalizável, o Winamp pode ser considerado um pouco misterioso para os usuários que acabaram de conhecê-lo. Mas vale a pena aprender os truques deste player super completo.



Este player já não possui o mesmo brilho que tinha há alguns anos. Com o desenvolvimento de novos players, o Real Player acabou ficando para trás por mais que novas versões dele tenham saído neste meio tempo. Contudo, a última versão do software possui uma interface que atende muito bem os padrões do design de interfaces da atualidade. A biblioteca dele permite adicionar vários arquivos e pastas ao mesmo tempo.

O Real Player foi importante para que tecnologias de codificação e decodificação (codecs) fossem desenvolvidas. Um exemplo bastante forte é o codec RMVB, um dos mais leves disponíveis no mercado. Porém, a qualidade da definição deste codec não é das melhores. O que acaba confirmando os boatos que o peso é inversamente proporcional à qualidade. Além disso, a organização das ferramentas e funcionalidades do Real Player já estão antiquadas para os padrões de players de hoje. Apesar de possuir uma versão recente, o Real Player já ficou para trás.

O reprodutor de vídeos dele possui poucas opções de tamanho de tela e a opção “Abrir” do programa ainda é igual às versões antigas, ou seja, muito parecida com o prompt “Executar” do Windows. Este formato de janela não facilita a vida do usuário que precisa clicar em “Abrir” e em seguida em “Procurar” para encontrar o arquivo que ele deseja executar com o Real Player.

Entretanto, este player tem boas saídas e compatibilidades com mídias e dispositivos externos. É possível gravar CDs, VCDs, DVDs e sincronizar MP3 players e outros dispositivos que possam ser utilizados para a reprodução de mídias. O Real Player ainda conta com uma boa lista de rádios virtuais e podcasts. Mas todos os outros players já possuem recursos deste tipo com mais ferramentas e recursos mais arrojados.

Veja na tabela abaixo alguns pontos importantes para que usamos para avaliar os players de maneira básica:

Muito bem. Agora que você já conhece um pouco mais sobre cada um destes cinco players fica a pergunta: na sua opinião, qual é o vencedor desta guerra? Não deixe de opinar nos comentários logo abaixo!

Fique ligado para os próximos artigos do Baixaki! Até mais!

Cupons de desconto TecMundo: