Tesla faz 'recall' de mais de 285 mil carros na China

1 min de leitura
Imagem de: Tesla faz 'recall' de mais de 285 mil carros na China
Imagem: Global Times/Reprodução
Avatar do autor

A Tesla está realizando o recall de mais de 285 mil veículos na China, incluindo modelos produzidos na Gigafactory, em Xangai. Segundo o The Wall Street Journal, a ação se refere à atualização do software relacionado ao modo cruise control.

Conforme as informações, o piloto automático dos carros elétricos poderia ser ativado por acidente e fazê-los acelerar inesperadamente. A atualização do software está sendo feita remotamente, sem a necessidade de deixar os veículos nas concessionárias.

Model 3 está entre os veículos que passaram por recall.Model 3 está entre os veículos que passaram por recall.Fonte:  Teslarati/Reprodução 

Os órgãos reguladores chineses revelaram que o recall inclui 249.855 veículos Model 3 e Model Y fabricados em Xangai. Os outros 35.665 carros Model 3 são importados, todos produzidos entre dezembro de 2019 e junho de 2021.

Embora não tenha respondido os pedidos de comentários da imprensa norte-americana, a Tesla publicou um pedido de desculpas sobre o ocorrido na rede social chinesa Weibo.

Veículos da Tesla teriam sido acusados de espionagem na China.Veículos da Tesla teriam sido acusados de espionagem na China.Fonte:  Business Insider/Reprodução 

Ano difícil para Tesla na China

Em 2018, a Tesla assinou um acordo para a construção de uma fábrica na China — o maior mercado de elétricos do mundo. Com a meta de produzir 500 mil veículos ao ano no país, a Gigafactory Xangai iniciou as atividades em 2019.

Contudo, o ano de 2021 não está sendo tão favorável para a marca no país asiático. Em março deste ano, autoridades locais demonstraram preocupação com a segurança nacional por causa da atuação da montadora norte-americana.

Desconfiados das câmeras de segurança dos carros, o governo chinês supostamente proibiu a entrada de modelos da marca em áreas militares. O CEO Elon Musk precisou afirmar em público que os carros não são usados para espionagem.

Por fim, a Tesla acatou as exigências da China e optou por armazenar localmente os dados coletados no país pelos veículos. Uma manobra que visa melhorar o relacionamento com o governo local e expandir sua atuação.