Extreme E: competição de SUVs elétricos realiza a 1ª corrida

1 min de leitura
Imagem de: Extreme E: competição de SUVs elétricos realiza a 1ª corrida
Imagem: Extreme E/Divulgação
Avatar do autor

A primeira corrida da história do Extreme E, nova competição off-road de SUVs elétricos, foi realizada nesse domingo (4), em AlUla, na Arábia Saudita. A vitória foi da dupla Johan Kristoffersson e Molly Taylor, da equipe Rosberg X Racing, pertencente ao ex-piloto da Fórmula 1 Nico Rosberg.

Considerada a versão off-road da Fórmula E, a categoria é totalmente voltada à sustentabilidade, com os pilotos viajando até os locais de prova em barcos ecologicamente corretos, em vez de utilizarem aviões. Outra medida adotada pela competição é escolher projetos de preservação do meio ambiente nas regiões das corridas, para serem apoiados.

Os carros elétricos, batizados de Odyssey 21, são outro atrativo. As versões de todas as equipes têm a mesma aparência, exceto o GMC Hummer EV do time Chip Ganassi Racing, cujo visual lembra o do modelo convencional, e são construídas em torno de uma gaiola de aço reforçada com nióbio.

O Hummer elétrico participa da competição.O Hummer elétrico participa da competição.Fonte:  ArsTechnica/Reprodução 

Eles contam com um par de motores elétricos de 543 cv de potência, capazes de levar o veículo de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos. Graças a pneus especiais e a uma suspensão eficiente, o off-road elétrico da Extreme E consegue enfrentar inclinações de até 53 graus.

Carregando a bateria

Os propulsores do Odyssey 21 são alimentados por uma bateria de íon lítio de 40 kWh, que assim como qualquer outra precisa ser recarregada após um tempo de uso. Para garantir que não falte energia, a organização da categoria leva o seu próprio equipamento de carregamento para os locais de prova.

Sistema de alimentação das células de combustível.Sistema de alimentação das células de combustível.Fonte:  ArsTechnica/Reprodução 

Um dia antes da corrida, o dispositivo usa energia solar para eletrolisar o hidrogênio da água e utilizá-lo em células de combustível que vão gerar a eletricidade necessária para carregar os carros da Extreme E. De acordo com os organizadores, uma carga completa leva cerca de 90 minutos, por meio de carregadores com capacidade de 40 kW.