A Microsoft é uma das maiores companhias de tecnologia do mundo. Juntamente com a Apple e a Google, a Gigante de Redmond ocupa o topo da lista de empresas com o maior valor de mercado nesse segmento. Tendo em vista esse favorável panorama, não seria uma surpresa saber que ela estaria pensando em adquirir outra empresa do mercado de tecnologia.

Entretanto, essa possibilidade assusta por causa do alvo que está sendo visado pela Microsoft. De acordo fontes ligadas à empresa – informação compartilhada pelo site Kitguru –, a dona do Windows estaria pensando em adquirir ninguém menos que a Advanced Micro Devices, mais conhecida pela sigla AMD. Acha que isso é possível? E quais seriam as implicações disso para o mercado? Vamos entender melhor toda essa questão.

A Microsoft pode comprar a AMD? Entenda essa questão.

Por que isso é possível?

Nos últimos anos, AMD tem enfrentando um dos piores momentos desde a sua existência. Apesar de ainda ser uma das maiores fabricantes de processadores do mundo, ela vem lidando com quedas sucessivas diante de suas concorrentes. Em 2012, por exemplo, a companhia experimentou um prejuízo de cerca de US$ 1 bilhão. Essa perda foi o suficiente para "engolir" o lucro de 2011 (US$ 491 milhões) e 2010 (US$ 471 milhões), dois dos anos mais lucrativos da década para a empresa.

Diante dessa situação nada agradável, é normal pensar que alguns players do mercado estariam pensando na aquisição da AMD com um baixo valor de mercado. Apesar de não ser rentável, a fabricante possui tecnologias que interessariam muitas outras companhias. Rumores sugerem que até mesmo a Samsung cogitou adquirir a empresa.

A AMD tem vivido um dos piores momentos desde que foi fundada.

E como isso é possível?

Segundo estimativas, a Microsoft possui US$ 93,3 bilhões em caixa e a AMD, por outro lado, tem uma capitalização de mercado – estimativa do valor de mercado de uma empresa – próxima de US$ 1,8 bilhão. Portanto, a Gigante de Redmond não teria dificuldades em realizar essa aquisição, deixando a decisão para as questões estratégicas.

Como a Microsoft se beneficiaria?

A Microsoft não precisa comprar a AMD. Como fabricante de softwares, a empresa está muito bem estabelecida nesse segmento e promete fortalecer ainda mais o seu reinado com a chegada do Windows 10. Quando o assunto é hardware, a companhia ainda pode ser apoiar em sua parceria com a toda poderosa Intel, a maior fabricante de processadores do mundo.

Com a aquisição, a Microsoft poderia se beneficiar em diversas frentes do mercado.

Entretanto, é bom lembrar que a Microsoft não é sinônimo apenas para Windows. A marca Xbox também é outra bandeira forte que está debaixo das asas da empresa. E, diante desse prisma, a compra da AMD começa a ficar mais interessante para a companhia.

Analistas estimam que a Microsoft pague cerca de US$ 100 para cada chip presente no Xbox One. Levando em consideração que já foram vendidos aproximadamente 13 milhões de unidades do console, isso significaria uma economia de US$ 1,3 bilhão desde que o video game foi lançado. Se após a aquisição a empresa decidisse investir no desenvolvimento de chips para smartphones e tablets, o corte de gastos poderia ser maior ainda.

Briga com a Sony

Essa questão do Xbox One é a prova de que a aquisição da AMD pela Microsoft vai muito além dos computadores. Apesar de representar um mercado menor para a companhia, o investimento no entretenimento pode ser uma estratégia para desbancar a principal rival do console: a Sony.

Chip da AMD presente no Xbox One.

O PlayStation 4 também utiliza chips da AMD debaixo do capô. Se a aquisição for concretizada, a Sony vai ser colocado em uma situação bastante delicada diante desse mercado. Afinal, para continuar a produzir o seu console, seria necessário colocar dinheiro no bolso da Microsoft, a dona do Xbox One, seu principal concorrente.

Briga com a Sony e o PlayStation 4.

Briga com a Intel

Outro aspecto interessante a ser analisado diante dessa possibilidade é a provável briga que surgirá com a Intel. Afinal, a Microsoft não esconde o quanto se apoia nos processadores da empresa para equipar seus notebooks, desktops e até mesmo servidores.

Briga com a Intel.

Já que a AMD também possui o seu portfólio nesses segmentos, é natural pensar que a Microsoft deixaria de importar a tecnologia e passaria a utilizar os "produtos da casa". Isso, entretanto, seria uma jogada suicida se não fosse muito bem planejada. Afinal, a Intel representa um nome muito forte no mercado de processadores e desbancá-la não vai ser nada fácil.

Briga com a NVIDIA

Assim como pode acontecer com a Intel, a aquisição da AMD pode acabar comprando briga com outra concorrente da empresa: a NVIDIA. As duas companhias representam os principais nomes no mercado de GPUs e, apesar de essa não ser uma disputa declarada, o palco estaria montado por causa da atual situação do mercado de placas de vídeo – que nada mais é do que NVIDIA vs. AMD.

Briga com a NVIDIA e suas placas de vídeo.

Afinal, vai ou não vai comprar?

Por enquanto, é impossível dizer. Há alguns dias, a AMD negou que estaria pensando em se dividir em duas e confirmou que "continua comprometida à sua estratégia de longo prazo".

Assim como aconteceu na época do rumor sobre a possibilidade de a Samsung adquirir a AMD, as próximas horas serão cruciais para sabermos se a aquisição por parte da Microsoft é realmente plausível. A não ser, é claro, que as duas empresas resolvam se manter no silêncio absoluto. Se isso acontecer, provavelmente só saberemos a verdade quando as duas empresas baterem o martelo – e se baterem.

Cupons de desconto TecMundo: