Elon Musk compra Twitter por US$ 44 bilhões

2 min de leitura
Imagem de: Elon Musk compra Twitter por US$ 44 bilhões
Imagem: rafapress/Shutterstock
Avatar do autor

Nesta segunda-feira (25), o Twitter confirmou a venda da rede social para o bilionário Elon Musk por aproximadamente US$ 44 bilhões — cerca de R$ 208 bilhões em conversão direta. O acordo foi concretizado após as partes concordarem com o valor de US$ 54,20 por ação. O negócio também independe de outras propriedades de Musk. Com a conclusão da compra, o Twitter se tornará uma empresa privada.

A transação foi aprovada por unanimidade pelo Conselho de Administração do Twitter e deverá ser concluída ainda em 2022. Ela ainda deverá passar pela aprovação dos acionistas da empresa e também deve receber as aprovações regulatórias necessárias.

Para a compra, Musk garantiu US$ 25,5 bilhões com empréstimos e outros US$ 21 bilhões em capital próprio.

Elon MuskElon Musk se tornará o novo dono do Twitter com a aquisição de 100% da rede social.

No início do mês, Musk havia adquirido cerca de 9% das ações do Twitter por US$ 2,89 bilhões. O movimento gerou preocupação entre os acionistas da empresa, que ofereceu-lhe um cargo no conselho de administração e que foi rejeitado em seguida pelo executivo. A nova oferta de comprar 100% da plataforma foi a “melhor e última” feita por Musk.

Em entrevista num evento TED de 14 de abril, Musk defendeu que a aquisição do Twitter tem ligação com a liberdade de expressão. Ele também concordou que o algoritmo da rede social deveria ser de código aberto, aumentando a transparência de como a plataforma funciona.

Foco em liberdade de expressão

Os termos do acordo implicam que os atuais acionistas do Twitter receberão US$ 54,20 em dinheiro por cada ação ordinária que possuírem até o fechamento da compra. O presidente do conselho independente do Twitter, Bret Taylor, informou em nota que foi conduzido "um processo cuidadoso e abrangente para avaliar a proposta de Elon com foco deliberado em valor, certeza e financiamento".

Ainda de acordo com Taylor, a venda da rede social para o bilionário "é o melhor caminho para os acionistas do Twitter". Ainda na tarde de hoje, Musk publicou em sua conta que espera que até mesmo os piores de seus críticos "permaneçam no Twitter, porque isso é o que liberdade de expressão significa".

O atual CEO do Twitter, Parag Agrawal — que assumiu o cargo de Jack Dorsey em novembro de 2021 —, disse que a rede social "tem um propósito e relevância que impacta o mundo inteiro. Profundamente orgulhoso de nossas equipes e inspirado pelo trabalho, que nunca foi tão importante".

Em nota, Musk reforçou a ideia de liberdade de expressão com a aquisição. "A liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento, e o Twitter é a praça [pública] da cidade digital onde assuntos vitais para o futuro da humanidade são debatidos", disse.

Fazendo alusão a outra fala dita pelo próprio Musk, ele voltou a falar sobre "desbloquear o potencial" da rede social e destacou medidas que deverão ser tomadas:

  • Implementar novos recursos;
  • Tornar os algoritmos da rede social de código aberto "para aumentar a confiança";
  • Derrubar cadeias de bots de spam;
  • Autenticar todos os usuários humanos.

"O Twitter tem um tremendo potencial — estou ansioso para trabalhar com a empresa e a comunidade para desbloqueá-lo", disse Musk.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.