Samsung e Apple puxam recuo na produção global de celulares

2 min de leitura
Imagem de: Samsung e Apple puxam recuo na produção global de celulares
Imagem: Pixabay/Photo Mix/Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Um relatório da TrendForce, divulgado nesta quinta-feira (2), aponta que a produção global de smartphones foi de 307 milhões de aparelhos de abril a junho de 2021, o que representa uma queda de 11% em comparação ao primeiro trimestre do ano. A empresa de pesquisa de mercado atribui o recuo aos recentes surtos de covid-19 em países do Sudeste Asiático, como Vietnã e China, que afetaram tanto a demanda quanto a produção de celulares.

Entretanto, na comparação entre o primeiro semestre de 2021 e o mesmo período do ano passado, quando a pandemia começou, foi registrado um crescimento de 18% na produção. Nos seis primeiros meses desse ano foram produzidos 652 milhões de unidades de smartphones em todo o mundo.

Queda de produção na Samsung

Novos surtos de covid-19 no Sudeste Asiático provocou paralisação de fábricas da Samsung. (Fonte: Pxhere/Reprodução)Novos surtos de covid-19 no Sudeste Asiático provocou paralisação de fábricas da Samsung. (Fonte: Pxhere/Reprodução)Fonte:  Pxhere/Reprodução 

A Samsung continua como a maior fabricante de dispositivos móveis. Durante o segundo trimestre de 2021, foram produzidos 58,5 milhões de smartphones, um volume 23,5% em relação aos três primeiros do ano. Novos casos de coronavírus na Índia e no Vietnã, que respondem pela maior parte da produção da empresa, provocou a redução e até mesmo a paralisação das fábricas nestes locais.

Até o final de 2021, a fabricante sul-coreana deve manter a liderança global, mas terá dificuldades em segurar a posição, uma vez que seus concorrentes da China se destacam em design e fabricação de smartphones. A Xiaomi, por exemplo, está cada vez mais próxima da Samsung e chegou a assumir a ponta do segmento de celulares em junho.

Transição na Apple

Transição de modelos de iPhone prejudicou produção da Apple. (Fonte: Unsplash/Daniel Romero/Reprodução)Transição de modelos de iPhone prejudicou produção da Apple. (Fonte: Unsplash/Daniel Romero/Reprodução)Fonte:  Unsplash/Daniel Romero/Reprodução 

A fase de transição entre o lançamento do iPhone 12 e o próximo lançamento do iPhone 13 provocou uma diminuição na produção da Apple, que ficou em quarto no ranking de fabricação de celulares. Entre abril e junho, foram produzidos 42 milhões de aparelhos, um volume 22% mais baixo que o produzido no primeiro trimestre do ano.

Apesar da antecipação de pedidos junto aos fornecedores de componentes, a empresa pode sofrer para conseguir alguns componentes devido a novos surtos de covid-19 em locais como a Malásia.

Fabricação chinesa

As marcas chinesas tiveram uma redução mais discreta na produção. A OPPO e a Xiaomi, que ficaram empatadas em segundo lugar com 49,5 milhões de aparelhos produzidos no segundo trimestre, tiveram queda no volume de, respectivamente, 6,6% e 2% em relação ao trimestre anterior.


News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.