Apple preza pela privacidade de clientes, mas não de funcionários

2 min de leitura
Imagem de: Apple preza pela privacidade de clientes, mas não de funcionários
Imagem: Firmbee/Pixabay/Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Apple tem um compromisso com a privacidade do consumidor que merece destaque entre outras gigantes da tecnologia. No entanto, o mesmo não acontece com os próprios funcionários da empresa, relata uma matéria publicada no The Verge.

O CEO da companhia, Tim Cook, chegou a declarar, em janeiro de 2021 , que as empresas construídas na compra e venda de dados do usuário, sem o conhecimento ou consentimento dos consumidores, “[degradam] nosso direito fundamental à privacidade em primeiro lugar, e nosso tecido social por consequência”.

Contudo, diversos funcionários denunciam que essa preocupação é hipócrita, visto que a Apple estaria violando, com certa frequência, a intimidade de seus próprios trabalhadores. Os relatos apontam que isso acontece desde o momento da contratação e se estende até depois do pedido de demissão da empresa.

Confusão entre conta pessoal e profissional

Apple não respeita o sigilo de seus trabalhadores, assim como faz com seus clientes, afirmam funcionários. (Fonte: StockSnap/Burst/Reprodução)Apple não respeita o sigilo de seus trabalhadores, assim como faz com seus clientes, afirmam funcionários. (Fonte: StockSnap/Burst/Reprodução)Fonte:  StockSnap/Burst/Reprodução 

Os novos funcionários da Apple, quando estão sendo integrados à empresa, são informados de que terão um espaço extra em seu iCloud de 2 TB. Esse bônus vem com a vinculação do ID Apple pessoal com a conta de trabalho. As instruções da Big Tech dizem explicitamente “você deve vincular seu ID Apple pessoal à sua conta de trabalho AppleConnect”.

Apesar de os trabalhadores poderem solicitar uma suspensão da integração e pedir a criação de um novo ID da Apple exclusivo para o trabalho ou usar um telefone diferente, a maioria não o faz por questões práticas — grande parte dos dispositivos da companhia não permite o acesso a vários IDs Apple.

Veja também: iPhone 13 pode ter ligações via satélite, mas somente para emergências

Para alternar as contas do iCloud em um iPhone, por exemplo, o usuário precisa sair completamente de um ID e entrar em outro. O processo parece relativamente simples, mas imagine fazer isso centenas ou milhares de vezes em um ano. É muito mais prático e fácil tecnicamente adicionar uma nova pasta Apple Work à conta iCloud do funcionário.

Com a confusão entre a conta pessoal e profissional, a Apple acaba tendo acesso a todas as informações pessoais de seus trabalhadores. Em processos judiciais ou em outras ocasiões, a empresa pode simplesmente acessar os dados.

Mesmo depois que saírem da companhia, os ex-empregados não podem apagar as informações, sob ameaça de sofrerem ações judiciais, e a empresa continua tendo acesso aos dados. O The Verge entrou em contato com a Apple, mas não obteve uma resposta da companhia sobre as acusações de violação de privacidade de funcionários e ex-colaboradores.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.