O conteúdo é rei. Essa é uma das frases mais ouvidas dentro do mundo corporativo já há algum tempo. Depois de fazer a curadoria de conteúdo para seus usuários através de App Store, iTunes e Apple TV, a Empresa da Maçã decidiu que iria arregaçar as mangas e começar a produzir conteúdo próprio. Uma dança das cadeiras na estrutura executiva da Apple pode indicar que esse plano está muito próximo de ser colocado em prática.

Afinal, a companhia resolveu realocar um dos nomes mais importantes da casa para que ele ajude o império liderado por Tim Cook a se tornar uma potência cinematográfica. De acordo com uma atualização na página de executivos da Maçã, Eddie Cue vai deixar de chefiar os avanços da Siri para assumir uma tarefa ainda mais ousada: ajudar a Apple a comprar um estúdio de Hollywood. E você achando suas metas arrojadas, hein?

Cue já idealizou ou cuidou de uma série de produtos da marca baseados em serviços ou aplicativos online, mas parece disposto a abrir mão de parte desse controle para transformar a empresa em uma potência que pode bater de frente com nomes como Netflix, Amazon e até YouTube na produção de conteúdo via streaming para o público. Como dá para perceber, não é à toa que o executivo aceitou ceder seu lugar no comando da assistente virtual para Craig Federighi, o então vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple.

A prioridade da Apple está bem clara

A passagem da Siri para Federighi, aliás, pode trazer uma integração ainda maior dela com as plataformas da casa, já que o executivo é o responsável máximo pelo macOS e pelo iOS. Será que teremos novidades sobre isso no horizonte? Mesmo jogando nessas duas frentes, a prioridade da Apple está bem clara: a companhia supostamente estaria reservando um orçamento anual de US$ 1 bilhão para suas produções em vídeo originais, anda disputando algumas obras com a própria Netflix e pode estar de olho na compra do Culver Studios.

Cupons de desconto TecMundo: