Não há dúvidas de que a internet tem se tornado parte fundamental de nossas vidas. Em 1980, os engenheiros que criaram a internet e a especificação IPv4 também deram vida a 4,3 bilhões de endereços de IP acreditando que tal número fosse o suficiente para atender toda a demanda mundial. Porém, o que estamos vendo é exatamente o contrário, de acordo com informações do site do Wall Street Journal. 

Dado o aumento de computadores, laptops, smartphones e vários outros dispositivos capazes de se conectar à internet, esse número diminuiu de 4,3 bilhões de endereços para apenas 3,4 milhões na América do Norte. E, ao que tudo indica, há chances de que esses protocolos restantes estejam em uso até o final do terceiro trimestre deste ano. 

Motivos para uma crise? 

Ainda que os endereços IPv4 estejam quase todos em uso, vale lembrar que ainda temos o IPv6 como alternativa para descongestionar essa rota e permitir que a situação volte a se normalizar – afinal, ele pode aumentar o número de endereços disponíveis para 340 “undecilhões” (caso precise de ajuda, basta saber que isso seria um número seguindo por 36 zeros), garantindo assim um IP para cada átomo na Terra.

Entretanto, vale lembrar que o IPv6 ainda tem um caminho a percorrer. Em agosto do ano passado, publicamos aqui no TecMundo uma notícia dizendo que, apesar de a implantação deste protocolo de roteamento estar avançada, à época ela alcançava apenas 0,6% do tráfego mundial. 

Outro detalhe que notíciamos há algum tempo é que, por aqui, o IPv6 deve chegar em julho deste ano – algo que você pode conferir clicando aqui.

Cupons de desconto TecMundo: