Fato: a Intel já perdeu a briga na categoria de chips para dispositivos móveis e a própria companhia está “ciente” disso. Bastante atrasada nesse mercado, a empresa sabe da força com que a Qualcomm atua no segmento e o quão difícil vai ser batê-la frente às fabricantes de smartphones e tablets.

Deve ser por causa disso que a Intel está “obcecada” por outra tendência: a Internet das Coisas. Há alguns meses, a empresa (juntamente com a Dell e a Samsung) havia proposto uma aliança para promover essa tecnologia que, segundo estudos pessimistas, deve se tornar algo comum apenas em 2025.

IoT Plataform

Para mostrar o quanto apoia essa tendência, a Intel inaugurou o IoT Plataform, uma iniciativa que pretende facilitar a vida de outras empresas na hora de testar, implemenar e promover a segurança em dispositivos que se apoiam nesse conceito. Segundo o site Engadget, essa medida é a resposta da Intel para outro movimento da Qualcomm que também flerta com essa tecnologia.

O IoT Plataform pretende unificar os padrões para o desenvolvimento dessa tendência. Segundo o próprio comunicado à imprensa, essa plataforma “é um modelo completo de referência concebido para unificar e simplificar a conectividade e segurança para a Internet das Coisas”.

Mais da Intel

A Intel também proverá o mercado com hardware e software, produtos que serão baseados nessa nova plataforma e deverão se tornar um padrão de qualidade quando a tecnologia estiver bem estabelecida. Novas parceiras também prometem aumentar ainda mais o ecossistema englobado por essa tendência para facilitar a sua disseminação entre o público.

Com tantas empresas gigantescas entrando nessa brincadeira, podemos especular que a Internet das Coisas chegue a nossas vidas muito antes do que pensávamos. Quando será que poderemos conversar com a nossa geladeira e micro-ondas, ou com o vidro do nosso espelho e a mesa da cozinha? Se depender da Intel, em breve.

Cupons de desconto TecMundo: