O HammerHead Rhytm Station, longe de ser um programa destinado a DJs, é uma estação básica de ritmos criada há mais de 10 anos, mas que ainda é interessante para aqueles que querem entender como funcionam alguns principios básicos da música eletrônica e seqüenciadores.

Através dele, o usuário cria loops (trechos) ritmícos a partir de pouco mais de 20 opções que compreendem elementos percussivos primários e algumas amostras já prontas.

Interface

A tela do programa junta diretamente todas as funções, sem demais menus ou opções. Acompanhe um pouco sobre a divisão de cada quadro e sua respectiva utilidade:

1. Botão Play: o indispensável botão que diz quando o som deve tocar.

2. Tempo: escolhe o BPM (batidas por minuto), também conhecido como andamento. que determina se a música vai ser mais lenta ou mais rápida. Vai de 50 a 250 BPM.

Shuffle: escolhe a ginga e o balançado da música. Quanto maior o nível de Shuffle, mais as notas saem um pouquinho do ritmo para dar aquele groove às batidas.

3. Volume: controla o volume geral da execução.

4. O primeiro parâmetro controla a quantidade de compassos, que pode variar de 1 até 8. O segundo escolhe qual compasso está sendo modificado no momento.

5. Seleciona a quantia de distorção e feedback aplicadas aos elementos que estiverem com o efeito de distorção ligado (DIS).

6. Seqüenciador principal, com 16 batidas divididas em 4 tempos. Os botões em amarelo representam a cabeça de cada tempo, enquanto os azuis representam as divisões.

Quando o led está aceso (pintado de branco) significa que uma batida foi inserida na respectiva localidade. É só clicar para ligar/desligar a função.

7. Seletor de canais — são 6 ao todo, trabalhando independentemente. Ao escolher um, você distribui as opções relativas a ele primeiramente na sua janela (explicado abaixo) e depois no seqüenciador.

8. Janela referente a cada canal. Aqui são feitas as mudanças referentes ao timbre da batida. O conjunto de tudo resulta no "som que sai". No menu dropdown, é escolhido o elemento sonoro dentre os 29 possíveis e mais 6 de escolha livre do usuário.

Tipos de batidas

O estoque do HammerHead Rhytm Station apresenta 6 tipos distintos de batidas: bumbos (BD), caixas (Snare), chimbals (Open/Closed HH), palmas (Clap), prato de ataque (Crash) e loops já prontos (que estão com o nome entre colchetes).

O botão "REV" serve para reverter o som original e é fundamental para criar efeitos interessantes e incrementar o mix. O seletor "DIS" adiciona distorção ao som, efeito que pode ser modificado pelos sliders do parâmetro 4. Por fim, o led ON/OFF liga e desliga o canal.

Exemplo de como criar um ritmo

Aqui vamos mostrar como criar um ritmo usando 5 canais de áudio. No canal 1, faça a escolha "Jungle BD". Agora, distribua as batidas como na figura abaixo — aperte o play e percebe como o som se altera se você adicionar ou retirar batidas.

         

Em seguida, no canal 2, escolha "Ac. Snare1 1" e adicione as batidas nas seguintes localidades. Repare como cada canal funciona independentemente: o que vale para um não vale para outro.

Prosseguindo no canal 3, coloque o som do "Ac. Closed HH". Este é o chimbal fechado, marcando o ritmo conforme a figura.

Por fim, no canal 4, adicione a opção "909 Crash", e coloque apenas uma batida de acordo com o exemplo.

Apenas com este conjunto já é possível criar um loop (trecho) interessante para usar em outras aplicações. Porém, se você quiser fazer algo um pouco mais amplo, pode estender o número de compassos. Aumente o total para 2 como indicado abaixo.

Ainda estando no compasso 1 (Current) vá em "Edit / Copy measure (all 6 channels)". Após isto, mude para o compasso 2 (Current) e vá em "Edit / Paste" (ou simplesmente CTRL+V).

Desta maneira você criou um outro compasso exatamente igual ao anterior, que é independente e poderá ser modificado sem alterá-lo.

Dando seqüência ao procedimento, vá no canal 4 e retire a batida, deixando-o vazio. Lembre-se: só retire a batida no compasso 2, deixando presente no 1.

Seguindo adiante, acione o canal 5 e coloque "Ac. Open HH", que é o chimbal aberto. Acrescente a batida como demonstrado de forma similar nos dois compassos (1 e 2); para tal será preciso selecionar o compasso em "Current".

Para finalizar, acrescente mais duas batidas no compasso 2 para a "Ac. Snare 1" que se encontra no canal 2.

Pronto! Agora você tem um ritmo de 2 compassos que pode ser exportado para quaisquer outras utilizações.

Incrementos

Existem alguns recursos que ajudam a modelar um pouco o som. A opção "Shuffle" é ótima para deixar o resultado menos reto; experimente colocar o slider no meio.

Para destacar os canais, pode-se usar o comando "DIS". Acrescente-o ao canal 1 e configure a quantidade de distorção e feedback como demonstrado.

O efeito reverso pode criar dinâmicas interessantes, famosas na música eletrônica. Porém, deve ser usado com cautela, pois, se aplicado em todos os canais, cria um som incompreensível e desagradável. Acione a opção apenas no canal 4 e escute como ficou.

Para terminar de dar uma lapidada no som, você pode diminuir/aumentar o volume de cada canal da maneira que mais lhe agradar, apenas mexendo na barra presente em cada um deles.

Uma boa opção para saber sobre o poder de criação do programa é abrir os diversos exemplos contidos e notar como foram feitos.

Aumentando as possibilidades sonoras

Neste link (Clique aqui) você encontra uma variedade de mais de 50 bancos criados por outros usuários. Todos eles contém sets diferenciados e ajudam a estender as funcionalidades do programa.

É só baixar o arquivo e carregá-lo a partir do programa clicando em "Userbank". Lembre-se de descompactá-lo se estiver no formato ZIP, pois só o formato HUB é suportado para bancos de som.

Ao trocar um banco de som, as batidas que aparecem no campo até são substituídos por outras que o criador do banco escolheu. Existem alguns resultados interessantes, como timbres industriais, barulhos, sintetizadores e pratos extras.

Caso você queira importar seus próprios arquivos, pode usar o HammerHead User Bank Creator, que já vem junto com o programa. O impasse fica por conta de que os arquivos utilizados só podem ser no formato RAW. Fora isso, o processo é rápido, apenas sendo necessário indicar qual sample será referente a cada opção. Se quiser transformar arquivos em WAV para RAW e usá-los nos bancos do programa, uma opção é usar um conversor como o Switch-Audio-File-Converter.

Salvando e exportando

Indo em "Save Track" ou "Save Track As" você salvará seu projeto no formato HH, que poderá ser usado apenas pelo HammerHead Rhytm Station para edição posterior. Para exportar em outros formatos é necessário ir em "Stream to Disk"; os formatos suportados são o universal WAV (aceito em qualquer outro programa de edição sonora) e o RAW, que poderá ser usado como um sampler no próprio programa.

Bom, agora é com você. Use a criatividade e mande ver criando ritmos e batidas, pois o Hammerhead Rhythm Station é a porta de entrada para mundos mais complexos como o Fruity Loops, Ableton Live e Virtual DJ.

Cupons de desconto TecMundo: