O mundo já ficou chocado ao descobrir que baixar livros para dentro de um Kindle efetivamente aumenta o peso do aparelho. Mas fique tranquilo: é impossível de sentir a diferença. Um e-reader cheio é apenas um quintilhonésimo de grama (ou um atograma, peso equivalente ao de uma molécula de DNA) mais pesado que um vazio.

Mas, embora a diferença em apenas um e-book seja tão minúscula a ponto de se tornar irrelevante, os resultados se tornam mais visíveis quando se mede uma quantidade muito maior de dados. Dessa forma, quanto será que pesa toda a internet?

O mesmo que um morango

Isso mesmo. O peso de toda a internet é praticamente o peso de um morango. Ou, mais especificamente, de apenas 50 gramas. Mas não fique confuso, vamos explicar como foi possível aos estudiosos chegarem a essa conclusão.

Algo em torno de duas internets.

Toda a informação que existe na rede é guardada em um código binário, constituído de "0"s e "1"s. Esse código só existe graças aos elétrons que se movimentam através de transistores nas placas dos circuitos. Sabendo disso, o cálculo se torna uma simples questão matemática.

Uma estimativa aponta que existem hoje no mundo cerca de 100 milhões de servidores consumindo em média 400 watts cada. A massa de um elétron é de 9,1 vezes dez elevado a menos 31 gramas e um ampere é em torno de dez elevado a dezoito elétrons por segundo. Sendo assim, fazendo um cálculo rápido, chegamos ao peso de 50 gramas.

Mas isso, claro, é o peso necessário para que toda a infraestrutura da internet se mantenha funcional. Mas dentro disso surge outra questão: qual o peso de toda a informação contida na rede?

Um grão de areia

E as coisas vão ficando cada vez menores. Vamos imaginar uma mensagem de email de 50 KBs. Convertendo tal valor para a unidade padrão, teremos 409.600 bytes nessa composição. Se metade desses bytes forem “1”, teremos 204.000 “1”s que devem ser armazenados, totalizando aproximadamente 8 bilhões de elétrons.

Os números parecem grandes, porém o resultado é imperceptível. Mas claro, isso é o valor de apenas um email e a internet possui infinitos deles. Além, ainda, de fotos, vídeos, mídia, páginas, mensagens, redes sociais etc.

Para medir o valor total, o autor do livro Internet Growth 2006, Clifford Holliday, fez diversos cálculos até chegar ao valor final de 40 petabytes de dados (isso é 4 seguido de 16 zeros). Assumindo que o valor esteja correto, chegamos a um número final de dados que pesam incríveis 5,6 milionésimos de grama, ou aproximadamente o peso do menor grão de areia que existe.

Para explicar todo esse processo de uma forma um pouco mais divertida, o pessoal do canal Vsauce, no YouTube, fez um vídeo mostrando cada passo do cálculo. Confira abaixo (em inglês):

Aparentemente a internet ainda está longe de precisar fazer uma dieta.


OBS.: Na física, a unidade grama está relacionada à massa de um corpo, sendo que o peso é medido em newtons ou outras unidades equivalentes. Contudo, devido ao costume popular, tratamos a massa como peso durante a criação deste artigo, para facilitar o entendimento.

Cupons de desconto TecMundo: